Brasão abençoado

O costume

A Federação Portuguesa de Futebol achou que não havia ninguém melhor para presidente do seu Conselho de Disciplina do que a deputada e jurisconsulta Cláudia Santos. De todos as pessoas competentes para exercer esta tarefa, Fernando Gomes escolheu alguém com um carinho especial pelo Benfica e um ódio especial pelo F. C. Porto e seus dirigentes. São opções, claro está.

A senhora em causa tinha pertencido a uma Direção da Liga especialmente marcante: o mandato de Mário Figueiredo. Já se sabe que a memória não abunda no futebol português, mas talvez valha a pena lembrar que esse período não foi, digamos, um exemplo de isenção e dignidade. A coligação entre o Benfica e essa Direção da Liga é um facto publico e notório.

Por falar em comadres, Mário Figueiredo apareceu a escrever uma série de textos no Facebook. Neles, fala da sua presidente da Comissão de Instrução e Inquéritos da Liga e do atual presidente da FPF.

Seria insultar a inteligência do cidadão dizer que o que o ex-presidente da Liga afirma não é discutível, muitíssimo longe disso, particularmente a parte em que desenvolve uma tese sobre Fernando Gomes. O que estranhei foi o silêncio sepulcral em redor do que Mário Figueiredo escreveu. Afinal o homem foi presidente da Liga, não há jornalistas e comentadores desportivos que achem curiosa esta tomada de posição do homem? Imagine-se o que seria se um ex-dirigente desportivo de primeira linha fizesse as considerações que ele fez mas se em vez do Benfica fosse o F. C. Porto a estar em causa.

Porque será que nada disto me espanta?

A subir

A primeira Liga vai recomeçar: são excelentes notícias. Feliz ou infelizmente, há poucas coisas no nosso país que digam tanto a tanta gente como o futebol. O lento regresso à normalidade não teria o mesmo significado sem a chegada desta paixão. Nós precisamos do futebol e o país também.

A descer

A Federação de Andebol não gosta do F. C. Porto. Basta lembrar a homenagem feita ao Sporting no ano em que o F. C. Porto fez a mais brilhante época de todos os tempos do andebol nacional. Agora não nos atribui o título apesar de estarmos à frente na classificação depois de terminada a época regular. A FPA não merece esta nossa equipa.

*Adepto do F. C. Porto