Opinião

Haja saúde sem impostos

Haja saúde sem impostos

1. Diz que nos vamos transformar na terra do leite e do mel. Não é um exagero. O PSD e o CDS entraram por estes dias numa competição de dimensões bíblicas sobre quem faz as promessas mais estonteantes na redução de impostos.

Ponto prévio: de repente os dois partidos da Direita reconhecem que Centeno é um génio e pôs o país a dar lucro. Assunção Cristas chama-lhe "excedente" e Rui Rio "dividendo". Acabam-se as cativações e avança-se para a redistribuição massiva aos mais pobres, à classe média, aos empresários e a quem mais se puser na fila do voto. Sendo certo que o CDS consegue sempre gritar um tom acima. No IRS, o PSD devolve 1200 milhões, mas o CDS chega aos 3,2 mil milhões. No IRC, o PSD desce a taxa de 21% para 17%, o CDS vai aos 12,5%. Mas os sociais-democratas também têm um golpe capaz de levar os centristas às cordas: o IVA do gás e da eletricidade regressa aos 6% (uma poupança anual de 500 milhões para os portugueses). Vai rimar bem com o som dos bombos nas arruadas e feiras.

2. Diz que há acordo entre PS, PCP e BE para uma nova Lei de Bases da Saúde. Depois das ameaças de veto de Marcelo; depois de uma interminável e inconsequente discussão sobre as parcerias público-privadas na Saúde (ou seja, se hospitais públicos devem ou não ter gestão privada); depois de oscilações ora à Esquerda, ora à Direita, António Costa lá sacou um acordo. Que esse acordo não inclua um acordo sobre aquilo em que a Esquerda está em desacordo não deve desanimar os utentes do Serviço Nacional de Saúde. Daqui a seis meses, logo se vê. O que importa agora é que há mais uma medalha para apresentar, mesmo que baça. Já é possível imaginar o entusiasmo nos comícios: faltam médicos, as maternidades fecham, os enfermeiros estão em greve, as consultas estão atrasadas, as urgências entupidas e as cirurgias adiadas? E depois? O que é isso comparado com uma lei novinha em folha, cheia de artigos e alíneas e que até adia decisões sobre temas desagradáveis como os negócios privados na saúde pública?

Chefe de Redação