O Jogo ao Vivo

Igreja Católica

Bispo da Guarda quis silenciar caso de pedofilia

Bispo da Guarda quis silenciar caso de pedofilia

Vários membros da Igreja sabiam das queixas de abusos do padre Luís Mendes, mas este só foi investigado e detido após os pais de várias vítimas o denunciarem à PJ. O bispo da Guarda queria o caso silenciado.

Nos autos do processo-crime, em que o vice-reitor do Seminário Menor do Fundão foi acusado de 19 crimes sexuais sobre seis crianças ou menores dependentes, não há evidências de que o bispo D. Manuel Felício, em particular, soubesse das queixas dos alegados ofendidos antes de a investigação começar. Mas há testemunhos de que ele quis que o caso tivesse sido resolvido entre portas. Numa reunião com os pais dos 17 alunos internos do seminário, realizada a 9 de dezembro último, três dias após a PJ deter Luís Mendes, o bispo mostrou-se "zangado" com a denúncia do caso à polícia, contou uma mãe à PJ.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG