campanha de sensibilização

Controlar a asma dá uma vida normal

Controlar a asma dá uma vida normal

Se tomar sempre toda a medicação, um asmático pode ter uma vida activa como qualquer outra pessoa. Essa é a mensagem de uma campanha de sensibilização da Associação Portuguesa de Asmáticos.

O nadador olímpico João Araújo, o jogador de futebol Deco, o tenista Nuno Marques e a maratonista Rosa Mota são apenas alguns exemplos de desportistas de êxito mundial que sofrem de asma. Para a Associação Portuguesa de Asmáticos (APA), eles são a prova de que é possível um asmático ter uma vida normal e plena de actividade, desde que tome toda a medicação.

Já quem não cumpre o tratamento médico indicado pode ter uma vida complicada. É essencialmente para estes que se dirige uma campanha de sensibilização, lançada pela APA, em Lisboa e no Porto, com o lema "Não deixe que a Asma controle a sua vida".

A campanha baseia-se na colocação de painéis em escadarias de locais públicos, os quais, através de uma imagem do Monte Everest, comparam a escalada da montanha à dificuldade que um asmático, não medicado, pode ter na subida de uma escadaria.

"Aconselha-se as pessoas com algum tipo de sintoma a consultarem o médico. Se são alérgicos devem saber a causa da alergia", alerta a presidente da APA, Marianela Vaz, citada pela Lusa.

Os sintomas típicos são a pieira, a tosse, falta de ar e pressão no tórax. Mas as manifestações de asma dependem de uma ligação entre factores genéticos e ambiente. Os factores desencadeantes tpodem ser substâncias a que o doente é alérgico, como pó, pêlos de animais e pólenes, ou factores não específicos, desde fumo de cigarro, cheiros activos ou frio.

"Parte significativa do sucesso clínico na asma é determinado pela forma como o doente compreende e adere ao esquema terapêutico", diz Marianela Vaz, alertando que "é fundamental que têm necessidade de fazer medicação preventiva a longo prazo, mesmo quando se sentem bem". "Os tratamentos não podem ser interrompidos e a medicação tem que ser tomada de acordo com a prescrição médica" sublinhou.

Para mostrar que a doença, que afecta um milhão de portugueses, pode ser controlada, a APA vai promover também, entre os dias 6 e 9 de Abril, uma iniciativa designada por "Papa Férias". Segundo Pedro Ferreira, responsável pelo Marketing da associação, a acção, que decorrerá na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, vai abranger 25 crianças, dos oito aos 12 anos de idade, que vão fazer "desporto de uma forma controlada". "Pretendemos mostrar que uma criança com asma devidamente controlada faz desporto da mesma forma que uma criança sem asma", refere.