Sociedade

Documentário mostra Dia D com imagens reais, inéditas e a cores

Documentário mostra Dia D com imagens reais, inéditas e a cores

Os 70 anos do Desembarque da Normandia vão ser assinalados esta sexta-feira e o canal por cabo National Geographic celebra a data com a estreia de um documentário bastante recomendável: "Dia D - O Sacrifício".

Ao longo de 90 minutos, conta-se e mostra-se a história do desembarque das tropas aliadas na Normandia, a 6 de junho de 1944, e o desenrolar dos acontecimentos até à libertação de Paris, a 25 de agosto de 1944.

O trunfo do documentário reside aqui: não é uma reconstituição, não é encenação, são imagens reais captadas naqueles dias de 1944 - muitas delas inéditas ou desconhecidas - que foram restauradas e melhoradas para alta definição e a cores. Tudo isto é acompanhado pela leitura de depoimentos de militares e de civis que viveram aqueles dias. Há, inclusive, um depoimento de Samuel Fuller. Aquele que mais tarde se tornou num consagrado realizador também serviu as tropas aliadas nesta campanha.

Com produção de CC & Louis Vaudeville e Lumiere Media e realização de Isabelle Clarke e Daniel Costelle, o filme tem a assinatura da equipa responsável pelo "Apocalipse da Segunda Guerra Mundial", uma série documental que foi bastante elogiada.

"Dia D - O Sacrifício" é inteiramente constituído por imagens de arquivo - muitas provenientes de filmes amadores - que foram encontradas em cinematecas e coleções particulares um pouco por todo o Mundo. Cerca de 85% das imagens nunca foram divulgadas para grandes públicos. Os 90 minutos são resultado de uma recolha de mais de 150 horas de filmes encontrados depois de uma exaustiva pesquisa que durou anos.

As imagens foram todas restauradas e o complexo processo de colorização só foi possível com a participação de uma equipa de historiadores, que conseguiram apurar as cores originais dos uniformes, da vegetação e da arquitetura.

Particularmente tocantes são as imagens de Caen completamente arrasada e as expressões das pessoas, das crianças, de um povo atordoado com aquele terror ou aliviado quando as tropas aliadas entram em Paris. Há imagens do general De Gaulle a descer os Campos Elísios ou o relato de um soldado americano a confessar que bebia doses generosas de Calvados (uma bebida alcoólica da Normandia) para aniquilar o medo e assim se sentir "todo poderoso" ante os soldados alemães.