Catar 2022

Ghanim Al Muftah: o jovem influencer sem pernas que abriu o Mundial

Ghanim Al Muftah: o jovem influencer sem pernas que abriu o Mundial

Durante a cerimónia de abertura do Mundial 2022 de futebol no Catar, realizada este domingo no estádio Al Bayt, na cidade de Al Khor, um momento chamou a atenção do público presente. No centro do palco principal, o ator Morgan Freeman conversou sobre inclusão e diversidade com Ghanim Al Muftah, um jovem catari de 20 anos que não tem os membros inferiores.

Ghanim Al Muftah é considerado um dos principais influenciadores do Catar. Possui uma doença rara, a síndrome da regressão caudal. Esta doença é caracterizada pela má formação da coluna vertebral e, por isso, Al Muftah não desenvolveu a parte inferior da zona cervical.

O jovem foi convidado pela FIFA a ser um dos embaixadores do Mundial, como prova de que o país estaria aberto a receber todo o tipo de adeptos, de várias etnias, religiões, géneros e orientações sexuais, mostrando a importância da diversidade.

PUB

O catari participou na cerimónia de abertura ao lado do ator de Hollywood Morgan Freeman, emocionando o mundo inteiro. No diálogo com o ator, perguntou se era bem-vindo. Freeman afirmou que "todos são bem-vindos. Este é um convite para todo o mundo".

Ghanim Al Muftah, conhecido por produzir diversos conteúdos nas redes sociais, tem como objetivo inspirar outras pessoas com deficiência pelo mundo.

Atualmente, tem mais de três milhões de seguidores no Instagram, quase um milhão no YouTube e 500 mil no TikTok.

A vida não se resume ao mundo digital e o jovem estuda Ciências Políticas e tem a ambição de conseguir uma carreira como diplomata ou até chegar mesmo a primeiro-ministro do Catar.

Al Muftah foi embaixador do Campeonato Mundial de Atletismo para Deficientes de 2015, que também se realizou no Catar, e tem o sonho de se tornar atleta paralímpico. Os desportos favoritos são o futebol, a natação, a escalada e o skate, segundo a BBC.

Como prova de que a deficiência não é limitadora, o jovem empreendedor criou uma cadeia de geladarias "Gharissa Ice Cream".

O jovem tinha à nascença uma esperança de vida de 15 anos, já ultrapassada, e é tido como um exemplo de superação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG