Ciclismo

João Almeida: "Não quero saber da minha cara, só quero manter a camisola rosa"

João Almeida: "Não quero saber da minha cara, só quero manter a camisola rosa"

No rescaldo de uma 15.ª etapa "muito dura", o ciclista português, que terminou os 185 quilómetros entre a base aérea de Rivolto e Piancavallo em quarto lugar, mostrou-se feliz por continuar com a camisola rosa.

"Hoje foi uma etapa muito dura, a velocidade era muito alta na frente. Mas estou muito feliz por continuar com a camisola rosa. É preciso ser inteligente após duas semanas e conhecer bem o corpo. Eu podia ter perdido a camisola para o Kelderman. Agora, ainda temos uma semana à nossa frente... Senti-me muito bem, mas os dias de descanso são sempre bem-vindos, estou contente por poder descansar a mente", começou por dizer João Almeida.

O corredor da Deceuninck-QuickStep teve de sofrer para segurar a liderança da geral e a dor do ciclista foi visível no final da prova. João Almeida garantiu que, apesar das dificuldades, só pensa na camisola rosa.

"No fim da etapa não quero saber da minha cara, só quero manter a camisola. Sofri muito no final, mas mantive a camisola e estou orgulhoso. Para mim, a etapa foi positiva. Posso dizer que, desde a primeira subida, o ritmo era algo alto mas senti-me bem todo o dia. Ainda faltam seis etapas para cumprir, nunca estive tanto tempo na liderança, mas é bom e estou certamente entusiasmado para saber quão longe vou", concluiu.

João Almeida segurou, este domingo, a liderança da Volta a Itália em bicicleta, numa 15.ª etapa vencida pelo britânico Tao Geoghegan Hart e em que o holandês Wilco Kelderman se aproximou do camisola rosa.

Outras Notícias