88 anos

Morreu a voz do hino e da marcha do F. C. Porto

Morreu a voz do hino e da marcha do F. C. Porto

A cantora Maria Amélia Canossa morreu esta terça-feira, aos 88 anos. A artista notabilizou-se como intérprete do hino e da marcha do F. C. Porto.

Maria Amélia Canossa, a "Princesa da Rádio" do Norte, como ficou conhecida aos 18 anos, ao ganhar diversos concursos radiofónicos - alguns em Goa, Damão e Diu, mesmo sem nunca ter posto os pés na Índia! - e que se notabilizou como intérprete do hino e da marcha do F. C. Porto. A artista tinha 88 anos e vivia atualmente num lar de repouso em Mafra.

Nasceu portista, no seio de uma família azul e branca - aos seis anos começou a frequentar o campo da Constituição, pelas mãos ao pai e do avô - e prometeu ser portista até morrer. Nascida a 19 de outubro de 1933, no Porto, fazia questão de dizer que tinha "sangue azul e branco", como referência ao amor que tinha do F. C. Porto, o clube do coração, onde chegou a praticar ginástica e natação.

Tinha 18 anos quando gravou o hino do F. C. Porto, durante a madrugada no Teatro de São João, onde o cantou pela primeira vez a 31 de março de 1952. Viria depois a interpretar o hino, que nasceu em colaboração com o poeta Heitor Campos Monteiro e o compositor António Figueiredo e Melo, aquando da inauguração do Estádio das Antas, a 28 de maio de 1952.

Antes, Maria Amélia Canossa não hesitou em dar a cara a voz nos espectáculos de angariação de fundos para a construção do estádio das Antas, que tiveram lugar no Palácio de Cristal, durante os quais cantava a marcha do F. C. Porto, da autoria de João Manuel e Carlos Dias.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG