Guerra

"Não sei se serei preso ou morto por dizer isto". Futebolista russo condena invasão

"Não sei se serei preso ou morto por dizer isto". Futebolista russo condena invasão

Igor Denisov, jogador russo e antigo capitão da seleção, deu, esta quarta-feira, uma entrevista na qual condenou a invasão à Ucrânia.

O futebolista russo Igor Denisov decidiu dar a opinião sobre a invasão do país natal à Ucrânia e, em entrevista à "Sky News", não só condenou a guerra como ainda garante que gravou um vídeo a pedir a Vladimir Putin para parar com o conflito. Vídeo esse que, segundo o atleta, não foi transmitido por nenhum meio de comunicação social russo.

"A invasão é horrenda, catastrófica. Um desastre e um completo horror. "Não sei se serei preso ou morto por dizer isto, mas estou a dizer tal como é. Isto é horrível. Estou assustado mas não me quero esconder mais. Nem vou sair da Rússia. Não vou a lado nenhum porque não quero ir. Mas como é que posso ficar calado? Eu até gravei um vídeo a pedir para pararem a guerra mas ninguém publicou o conteúdo", afirmou.

PUB

Igor Denisov foi capitão da seleção russa de 2012 a 2016 e, tal como o tenista Andrey Rublev, foi um dos poucos atletas a mostrar-se contra a invasão à Ucrânia.

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que causou já a fuga de mais de 15 milhões de pessoas de suas casas - mais de oito milhões de deslocados internos e mais de 7,5 milhões para os países vizinhos -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa - justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e a imposição à Rússia de sanções que atingem praticamente todos os setores, da banca ao desporto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG