Burlas

Black Friday: Guia para fugir aos truques dos sites fraudulentos

Black Friday: Guia para fugir aos truques dos sites fraudulentos

O JN deixa-lhe algumas sugestões sobre a forma de encontrar as promoções verdadeiras e evitar cair em contos de vigários.

Conheça o produto e o preço normal - O primeiro conselho para encontrar "pechinchas" por estes dias e não cair no logro de comprar mais do que precisa é saber o que quer comprar, saber o preço habitual e pesquisar nos comparadores disponíveis online.

Ferramentas ajudam a encontrar negócios - Já sabe o que quer comprar e qual é o preço habitual, mas as ferramentas online podem ajudar a descobrir oportunidades ou falsas promoções. Pode recorrer ao Kuanto Kusta para comparar lojas ou produtos e depois verificar no comparador da Proteste para saber se o preço atual é mesmo bom. Numa pesquisa rápida de produtos de uma das mais conhecidas marcas de eletrodomésticos, encontrámos aumentos de preço de quase 100% na última semana. Não deixe de avaliar a compra.

Lei das promoções é para cumprir - A Deco recorda que os produtos em promoção devem apresentar os dois preços: o atual, com desconto, e o inicial, que será o praticado nos 90 dias anteriores. As trocas após a promoção são sempre obrigatórias quando o produto tem defeito, em loja, ou nos 14 dias após a compra, em sites, neste caso mesmo sem defeito.
Se tiver problemas, peça o livro de reclamações ​​​​​​​e recorra à ASAE.

PUB

Bom demais para ser verdade é um aviso - Algumas das regras mais antigas continuam a valer para as compras online: se parece bom demais para ser verdade, fuja. Os criminosos procuram aliciar os consumidores a clicar em links maliciosos com ofertas imperdíveis enviadas por email, por SMS ou em redes sociais. Se não conhece o site, pesquise sobre ele no Google, procure alertas e reclamações, por exemplo no Portal da Queixa. Não arrisque.

Avaliar veracidade dos sites clonados - Os cibercriminosos estão cada vez mais sofisticados e já conseguem produzir sites em tudo iguais aos que as pessoas conhecem, seja do banco, seja da loja preferida. Não aceda através de links em emails, SMS ou redes sociais. Leia sempre o endereço do site (www.jn.pt não é igual a w.ww.jn.pt, por exemplo). Verifique se o conteúdo da página não é uma imagem (em vez de texto e imagens, toda a página é um grande bloco de imagem, só com alguns links utilizáveis). Recuse comprar sem cadeado e https:// no início do URL da página.

Cuidados redobrados com os dados online

O seguro morreu de velho, por isso, mesmo cumprindo as regras acima enumeradas, não faça pagamentos com o seu cartão bancário. Crie cartões virtuais de uso único (MBWay, MB Net), use Paypal ou tente pagar à cobrança.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG