PROCURA UMA EMPRESA?

PESQUISE POR NOME, NIF OU MARCA, GRATUITAMENTE!

Relatórios de todas as empresas portuguesas

Transportes

Protesto portuário ameaça fazer parar a Autoeuropa

Protesto portuário ameaça fazer parar a Autoeuropa

Estivadores precários deixaram dois terminais de Setúbal sem operações. Já estão acumulados cinco mil veículos.

Os estivadores precários do Porto de Setúbal não trabalham há uma semana, o tempo suficiente para se acumularem cinco mil viaturas produzidas na Autoeuropa que se destinam à Alemanha. A fábrica da Volkswagen diz que está perto de esgotar a capacidade de armazenar os carros que saem da linha em Palmela. No final desta semana, alerta, poderá ter de suspender a produção.

"Esta situação, a continuar, colocará em risco mais três mil carros. É a previsão que nós temos se a situação não for resolvida", diz fonte oficial da empresa. "No limite, implica a paragem da fábrica por falta de capacidade para armazenar os carros produzidos, nos parques da fábrica, no Porto de Setúbal e, excecionalmente, recorrendo à base aérea do Montijo".

A empresa estará a recorrer ao expediente extraordinário de colocar automóveis na Base Aérea do Montijo, via acordo alcançado este verão com a Força Aérea para garantir que tem espaço para os carros que aguardam homologação de motores face à nova norma de emissões WLTP. O acordo só é válido até este mês.

No cais estão ainda os contentores que deveriam ter sido movimentados numa semana de operações do terminal Sadoport, e que viu navios desviarem a marcha para outras paragens. A MacAndrews, que trabalha com alguns dos principais exportadores nacionais, confirma que de duas escalas que tinha planeado para Setúbal na última semana não realizou nenhuma.

O porto está virtualmente parado desde a tarde do passado dia 5, quando os estivadores precários, recrutados ao dia pela empresa de trabalho portuário Operestiva, deixaram de aparecer. Nos dois terminais afetados, há dez contratos a termo para 90 trabalhadores eventuais.

Os estivadores exigem um contrato coletivo de trabalho que dê garantias aos que permanecerão precários. A exigência é que uma parte do grupo seja contratada, mas possa prescindir do direito de realizar turnos adicionais a favor de quem ficará sem vínculo.

5000 carros acumulados no Porto de Setúbal

O número de viaturas produzidas na Autoeuropa, em Palmela, e que estão paradas nos terminais do Porto de Setúbal já totaliza as cinco mil unidades.

90 precários recrutados diariamente

A empresa Operestiva recruta 90 estivadores diariamente para trabalharem no Porto de Setúbal. Só há 10 contratos a termo.