Exclusivo

Pagamento de impostos a prestações duplicou durante a pandemia

Pagamento de impostos a prestações duplicou durante a pandemia

Crise pandémica de 2020 e 2021 terá contribuído. Pagamento faseado implica juros de mora atualmente abaixo da inflação.

Há cada vez mais cidadãos e empresas a pagar o IRS e o IRC a prestações, mesmo que, para isso, paguem juros sobre a dívida. Só em 2021, a Autoridade Tributária registou 178 248 planos de pagamento a prestações daqueles impostos, o que é mais do dobro dos 84 519 aprovados em 2019. Em ambos os casos, a explicação deverá estar associada à crise pandémica, no qual muitos contribuintes deixaram de ter rendimentos. Os planos de 2021 representam uma receita fiscal próxima dos 300 milhões de euros que o Fisco quer recuperar.

Uma análise aos planos de pagamento em prestações fornecidos pela Autoridade Tributária ao JN permite perceber que foi no IRS que a cobrança faseada mais aumentou. Em 2019, cerca de 80 mil cidadãos requereram o pagamento faseado, mas o número subiu para 101 743 em 2020 e para 165 300 em 2021. Ou seja, mais do que duplicou em dois anos. No IRC, os planos de pagamento em prestações foram 4597 em 2019. O número subiu para 9430 em 2020 e para 12948 em 2021, o que dá um aumento de quase o triplo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG