Imagens

Últimas

e-Toupeira

Ministério Público investigou jornalistas para saber quem eram as fontes de informação

Por ordem de uma procuradora do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa (DIAP) a PSP vigiou, durante cerca de dois meses, jornalistas responsáveis por uma notícia sobre a detenção de Paulo Gonçalves, assessor jurídico da SAD do Benfica. O DIAP confirmou a investigação, justificada pelo facto de os jornalistas estarem "na posse de detalhes que sugerem o acesso a peças do mencionado processo "e-toupeira". Um coordenador da PJ foi constituído arguido.