Processo

Aberto inquérito ao juiz apontado por prostituta

Aberto inquérito ao juiz apontado por prostituta

O juiz que é acusado por uma prostituta de ter recebido serviços sexuais enquanto via vídeos de crianças a relatar abusos sexuais sofridos vai ser alvo de um inquérito por parte do Conselho Superior da Magistratura (CSM).

"O processo de averiguações que foi aberto a 24 de Junho, logo que o CSM tomou conhecimento das declarações da senhora Ana Loureiro no Parlamento foi hoje [sexta-feira] convertido em inquérito, que segue agora os seus termos normais e é de natureza reservada", revelou ao JN fonte do CSM.

Ana Loureiro, dona de uma casa de prostituição, terá apontado o dedo a um magistrado judicial colocado num tribunal de família e menores e conhecido por intervenções públicas sobre direito de menores. O juiz participou em programas de TV sobre a regulação de responsabilidades parentais.

A mulher terá denunciado na quinta-feira o juiz ao MP. Por sua vez, o visado disse ao presidente da Associação Sindical dos Juízes que a denúncia não tem fundamento

Ana Loureiro tinha sido ouvida no mês passado na Assembleia da República, durante a discussão de uma petição para a defesa da legalização daquela atividade. A prostituta - que luta pela legalização da atividade - denunciou a hipocrisia de personalidades que, em privado, praticam atos contrários às suas posições públicas.

Outras Notícias