O Jogo ao Vivo

Alfândega da Fé

Antiga freira acusada de desviar mais de 350 mil euros começou a ser julgada

Antiga freira acusada de desviar mais de 350 mil euros começou a ser julgada

Uma antiga freira de Cerejais, em Alfândega da Fé, começou a ser julgada esta terça-feira no Tribunal de Bragança, acusada de dois crimes de abuso de confiança e um crime de furto qualificado pelo alegado desvio de cerca de 359 mil euros em dinheiro e de bens do Centro Social e Paroquial daquela aldeia, onde trabalhou vários anos.

A antiga freira, atualmente com 75 anos, e que vestiu o hábito durante 42, não vai assistir ao julgamento porque o tribunal aceitou um requerimento da defesa onde se solicita que não acompanhe as sessões "tendo em conta a idade avançada da arguida".

Idalina Jacinta senta-se no banco dos réus acusada pelo Ministério Público de desviar cerca de 340 mil euros, resultado dos pagamentos dos utentes do lar de idosos da IPSS, e de donativos que os peregrinos deixavam no santuário, e de outros bens, tudo propriedade do Centro Social e Paroquial de Cerejais.

PUB

Os desvios foram confirmados em julgamento pela técnica da Segurança Social que realizou a auditoria às contas do centro social, "através do cruzamento de documentos e de depósitos bancários".

Os alegados desvios terão ocorrido entre 2007 e 2010, quando foi tesoureira e responsável pela gestão da IPSS, segundo a acusação do Ministério Público. Da lista de bens alegadamente furtados contam mobílias, eletrodomésticos, computadores, louças, perus, galinhas, patos e até um pavão. Idalina Jacinta sempre negou todos os crimes relacionados com a instituição à qual dedicou a maior parte da sua vida.

A justiça decretou o arresto preventivo dos bens, e a arguida já devolveu cerca de 40 mil euros à IPSS.

A antiga freira foi para os Cerejais em 1985 e chegou a ser madre-superiora, sendo tida como muito próxima do fundador do Santuário dos Cerejais, Manuel Ochoa, entretanto falecido.

Idalina Jacinta e outra ex-freira, chamada Deolinda Serra, foram afastadas da congregação na sequência de um processo eclesiástico, cujo desfecho ditou que as religiosas fossem desconsagradas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG