Exclusivo

Preço dos metais raros faz disparar roubos de catalisadores automóveis

Preço dos metais raros faz disparar roubos de catalisadores automóveis

Aumento de 585% entre o ano passado e 2020. Cotação de metais raros que compõem os conversores explica fenómeno. Ladrões preferem viaturas mais antigas, pois têm mais metais. Assaltam até em pleno dia.

Faltavam quatro dias para o Natal passado e Jorge Sousa decidiu aproveitar para levar o neto a dar uma volta num comboio de Natal. "Estacionei no parque da estação de metro da Levada, no centro de Rio Tinto [Gondomar], seriam umas 16.30 horas. Nem uma hora demorei. Meti o meu neto no carro, dou à chave e ouço um barulho enorme. Como a carrinha já tem 20 anos, pensei que lhe tivesse caído o escape", contou ao JN. Sem o saber ainda, acabava de se tornar um dos 6926 portugueses que, no ano passado, ficaram sem catalisador no carro. Foi um recorde que é explicados pelos especialistas com o aumento da cotação do preço dos metais raros que integram aquela peça.

"Espreitei por baixo e lá estava a panela de escape pendurada. Só o senhor do reboque é que me disse que tinham roubado o catalisador", recordou. E a conta era pesada, pois na marca pediam-lhe uns redondos mil euros, com a colocação incluída. "Tive de ir para a concorrência, pois pode voltar a acontecer-me o mesmo. E paguei 230 euros ", diz.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG