Crime

Detidos assaltantes que invadiam armazéns através de buracos na parede

Detidos assaltantes que invadiam armazéns através de buracos na parede

Operação de grande envergadura está a decorrer no Grande Porto. Até ao momento, foram detidas 14 pessoas e apreendidas 15 viaturas e algumas armas. Detidos são suspeitos de vender material furtado em feiras

A PSP já fez 14 detidos numa operação de grande envergadura que se iniciou às primeiras horas da manhã desta terça-feira e que ainda decorre. Todos os detidos são suspeitos de pertencer a grupos altamente organizados, responsáveis por dezenas de assaltos a armazéns industriais na área do Grande Porto.

Em todos os furtos, os assaltantes realizavam buracos nas paredes para aceder ao interior das infraestruturas, de onde furtavam roupa, eletrodomésticos, telemóveis e metais. O material era, posteriormente, vendido em feiras do Norte do país.

Além das detenções, a PSP, que está a ser apoiada por militares da GNR nas dezenas de buscas já efetuadas, também apreendeu muito do material furtado, 15 viaturas e algumas armas.

Buracos para entrar e sair com material furtado

Segundo o JN apurou, o método de funcionamento do grupo era sempre o mesmo. Começava por escolher o local a assaltar com cuidado e após um estudo minucioso. Depois, durante a noite, vários elementos da organização dirigiam-se à zona industrial, faziam um buraco com cerca de um metro quadrado na parede e invadiam o armazém que guardava o alvo do furto. Em seguida, usavam o mesmo buraco para retirar o material, que era carregado nas carrinhas estrategicamente estacionadas. Por fim, fugiam sem deixar rasto.

Foi desta forma que furtaram milhares de peças de vestuário, muitas de conceituadas marcas, mas também eletrodomésticos como frigoríficos e televisores. Também foram furtados telemóveis e, em várias situações, até o metal que encontravam nas instalações foi levado.

PUB

Com exceção do metal, tudo o que era furtado era para ser vendido nas feiras que se realizam, sobretudo, no Norte do país.

Buscas em cinco concelhos

A operação em curso já passou pelos concelhos do Porto, Maia, Valongo, Santo Tirso e Paços de Ferreira. Visou, essencialmente, o cumprimento de mandados de busca às residências dos suspeitos e a espaços que serviam para esconder o material furtado. Foi aí que foram apreendidas centenas de peças de roupa, eletrodomésticos e muito do material furtado. Quinze viaturas usadas nos assaltos também foram apreendidas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG