Exclusivo

Engenheiro incendiário condenado a 25 anos por ter "matado a floresta"

Engenheiro incendiário condenado a 25 anos por ter "matado a floresta"

Cúmulo das penas pelos 16 fogos que ateou seria de 146 anos de cadeia e o tribunal não hesitou em aplicar a pena máxima. Trata-se de uma decisão inédita neste tipo de crime.

"O arguido usou as suas competências de nível superior para construir engenhos incendiários, com os quais matou a floresta, milhares de hectares de floresta, e matou a esperança de tantos e tantos cidadãos lesados pelos incêndios". Foi com estas palavras que o juiz do Tribunal de Castelo Branco, João Mateus, resumiu, esta quarta-feira, os argumentos usados para condenar a 25 anos de cadeia Nelson Afonso, o engenheiro eletrotécnico que fabricou sofisticados dispositivos incendiários para atear 16 fogos florestais, entre 2017 e 2020, nos concelhos da Sertã e Proença-a-Nova. É uma pena inédita neste tipo de crime.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG