Atendimento na rua

Esquadras móveis anunciadas pelo Governo inauguradas por polícias

Esquadras móveis anunciadas pelo Governo inauguradas por polícias

As esquadras móveis de atendimento da PSP, anunciadas pelo ministro da Administração Interna, na sequência do encerramento da maior esquadra do Porto no último fim de semana, entraram em funcionamento esta quinta-feira. Na Praça da Batalha, no centro da cidade portuense, não esteve qualquer representante do Governo ou da Câmara Municipal do Porto. Em Lisboa, só estiveram polícias e assessores do ministro.

Quem fez as honras, no posto móvel do Porto, foi o subcomissário Ricardo Claro que explicou a iniciativa tendo por base "uma estratégia definida a nível nacional que visa aumentar a proximidade da PSP com o cidadão".

PUB

A unidade irá funcionar em cinco locais - praça da Batalha, na praça Gomes Teixeira, Estação da Trindade, na rua da Estação, próximo da Estação de Campanhã e na rua do molhe junto à praia da Foz.

"Esta estratégia teve por base os horários onde há o maior fluxo de turistas e de cidadãos na via pública e definimos o período vespertino, próximo do final da tarde, e o período noturno", explicou o subcomissário Ricardo Claro.

Recorde-se que o lançamento das unidades móveis do Porto e de Lisboa foi anunciado pelo ministro da Administração Interna, na sequência de uma notícia do JN, no sábado passado, dando conta do encerramento do atendimento ao público, durante alguns turnos do último fim de semana, da Esquadra do Infante, no Porto.

A polémica levou José Luís Carneiro a reunir de emergência com a Direção Nacional da PSP e com os comandos de Lisboa e Porto, anunciando, logo a seguir, a antecipação do lançamento da esquadra móvel de sábado para esta quinta-feira.

"Essa experiência, que tínhamos pensado para lançar sábado, será, em princípio, no dia 28 [quinta-feira], para que o senhor presidente da câmara municipal do Porto possa participar nesse encontro", disse aos jornalistas José Luís Carneiro na câmara municipal do Porto, ladeado por Rui Moreira.

Porém, hoje, nem o presidente da câmara, nem qualquer representante do Governo marcou presença, relegando a apresentação da estrutura para a PSP.

Assessores em Lisboa

Jornalistas, assessores e nenhum governante nem autarca. A inauguração da nova unidade móvel da PSP - com matrícula de 1998 - que, a partir desta quinta-feira, vai estar em "locais emblemáticos" de Lisboa contou com aparato mediático, mas não com qualquer representante do poder executivo, perante o olhar surpreendido dos muitos turistas que aproveitavam o sol no Terreiro do Paço, no centro da cidade. Em duas horas, apurou o JN, a "esquadra" registou já duas queixas, um das quais por furto.

"Esta é uma valência que já tem sido utilizada nos projetos de proximidade da Polícia de Segurança Pública", admitiu o chefe de operações da 1.ª divisão de Lisboa, Tiago Fernandes, precisando que a "novidade" é a sua "presença no retorno da atividade turística" a Lisboa, onde espera, graças à sua "visibilidade", aumentar o "sentimento de segurança" de residentes e visitantes.

Até agora, a unidade móvel já foi utilizada, por exemplo e desde 2018, junto às praias da Linha de Cascais ou em eventos como o Rock in Rio.

Acompanhada por policiamento a pé e automóvel, o espaço destina-se à prestação de informação e apresentação de denúncias e o expectável é que, já na noite desta quinta-feira, pode, atendendo à habitual deslocação noturna de pessoas da Baixa para o Largo Luís de Camões, Cais de Sodré ou Docas, mudar de localização.

Até quando estará de portas abertas nestes e noutros pontos turísticos com concentração de pessoas, não se sabe.

"Pode estar uma semana, duas, um mês, dois meses. Vai sendo avaliada", sublinhou o comissário, sem deixar de assegurar que, apesar do seu aspeto, a carrinha tem condições quer para os dois polícias que nela trabalham quer para quem necessite de apresentar uma denúncia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG