Detenção

GNR captura em Gondomar suspeito de matar mulher em Castanheira de Pêra

GNR captura em Gondomar suspeito de matar mulher em Castanheira de Pêra

O homem que era procurado pelo assassinato de uma mulher, há uma semana, em Castanheira de Pêra, foi detido pela GNR em Fânzeres, Gondomar.

O suspeito, Albino Pinheiro, é natural deste concelho e estava numa churrasqueira, a preparar-se, alegadamente, para ver a transmissão televisiva o jogo de estreia do campeonato europeu de futebol, quando foi surpreendido por militares da GNR.

Segundo apurou o JN, uma patrulha da GNR detetou na sexta-feira, pelas 19 horas, nas imediações da Churrasqueira Alves, o automóvel em que o suspeito circularia. Trata-se de um Opel Corsa, que pertenceria ao pai da vítima mortal de Castanheira de Pêra e cujas características, designadamente a cor azul e a matrícula, tinham sido objeto de difusão entre as diferentes polícias.

Alertados para a possibilidade de o fugitivo se ter vindo refugiar na sua zona de conforto, em Gondomar, os militares procuraram e encontraram o homem na Churrasqueira Alves, onde a clientela se preparava para assistir ao desafio inaugural do Euro 2021, entre a Turquia e a Itália.

Ao ser abordado e detido pelos militares, o suspeito não terá oferecido resistência. Segundo apurou ainda o JN, a GNR não terá encontrado o suspeito na posse da arma de fogo com que, presumivelmente, terá assassinado a mulher com quem vivia há uns meses em Castanheira de Pêra.

O detido vai ser entregue à brigada da Diretoria do Centro da Polícia Judiciária a quem a investigação do homicídio está entregue.

PUB

Assumiu crime em carta

A vítima do crime que Albino Pinheiro terá cometido foi uma mulher, Teresa Paula Tomás de Oliveira, de 55 anos, e que seria feirante. A mulher era viúva e viveria com o suspeito há cerca de meio ano, na Moita, em Castanheira de Pêra.

Foi uma filha da vítima a primeira a suspeitar de algo estranho, porque ligava para a mãe e esta não atendia. Por isso, pediu a um irmão que fosse lá a casa, mas este chamou a GNR, que encontrou a mulher morta num quarto, com ferimentos de arma de fogo no peito e na cabeça.

A investigação apontou então para um conflito entre a vítima e o homicida que envolveria ciúmes e violência doméstica. O suspeito, sem ocupação conhecida, terá deixado na casa uma carta onde assumiu o homicídio e justificou-o por desentendimentos causados, alegadamente, por uma filha da vítima.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG