Cães carbonizados em fogo

GNR esclarece que salvou os animais que "foi possível"

GNR esclarece que salvou os animais que "foi possível"

Este sábado à noite, dezenas de cães e gatos morreram carbonizados no incêndio na serra da Agrela, em Santo Tirso, numa propriedade privada. Após as denúncias e as críticas de populares, associações e até de partidos políticos, a GNR esclarece que conseguiu resgatar animais com vida durante a tarde.

"Lamentavelmente, a dimensão do fogo e a grande concentração de animais naquele local, impediram que tivesse sido possível resgatar todos os animais com vida, tendo sido recuperados alguns já sem vida", garante a GNR em comunicado. Os animais feridos foram enviados para o veterinário municipal.

No entanto, já durante a madrugada deste domingo, uma associação de proteção animal garantiu ao JN que foram impedidos de entrar na propriedade pelas proprietárias da propriedade, onde estavam os animais ainda com vida. A maior parte eram cães.

"Chamamos bombeiros e GNR. Os bombeiros disseram que não têm carros para vir para cá, e a GNR está à porta, mas não nos deixa entrar porque diz que é propriedade privada. A GNR está a identificar-nos", explicou uma voluntária da associação, Cláudia Carvalho, no sábado à noite.

Em comunicado, a GNR confirma que vários populares tentaram aceder ao terreno e que foram alertados por uma proprietária. "Pelo facto de, àquela hora, já não existir urgência, uma vez que a situação estava já a ser tratada pelas entidades competentes e por se tratar de propriedade privada, os militares da Guarda impediram os populares de aceder ao espaço", escrevem.

A Guarda Nacional Republicana descarta ainda a responsabilidade das "consequências trágicas deste fogo". "A essa hora [madrugada de domingo], já tinham sido salvos os animais que foi possível salvar", explicam. As autoridades informam ainda que o local está a ser inspecionado pelo veterinário municipal.

Ainda na noite de sábado e madrugada de domingo, elementos do PAN (Pessoas, Animais e Natureza) estiveram no local e denunciaram a situação nas redes sociais. Também o Bloco de Esquerda repudiou o incidente que dizem ter acontecido num canil ilegal. "Da parte das forças de segurança, foi noticiado que agrediram ativistas dos direitos dos animais que tentavam entrar no canil para salvar alguns dos animais", escreve o partido em comunicado. Ambas as forças políticas pedem que se apurem responsabilidades.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG