Investigação

Sporting denunciado por corrupção no futebol

Sporting denunciado por corrupção no futebol

Alegado corruptor apresentou participação no Ministério Público. Garante ter comprado futebolistas e árbitros de andebol.

Há jogadores da Liga de futebol que poderão ter sido pagos para facilitar vitórias do Sporting em jogos da época passada e do início deste campeonato. Os valores poderão ter atingido 12 500 euros. O Ministério Público está a investigar suspeitas que partiram de uma denúncia de um empresário de futebol que garante ter corrompido árbitros de andebol e jogadores de futebol a mando do clube de Alvalade. O Sporting nega qualquer esquema de corrupção.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, o empresário Paulo Silva apresentou em março uma participação formal no Departamento de Investigação e Ação Penal do Ministério Público do Porto, onde entregou telemóveis com mensagens áudio de WhatsApp, uma aplicação que permite trocar comunicações encriptadas. As mensagens, gravadas e guardadas pelo denunciante, envolvem um outro empresário, que Paulo Silva garantiu estar ligado ao Sporting.

Nas mensagens escritas (também através de WhatsApp) constam instruções de pagamentos, de encontros com árbitros e com jogadores de futebol. Outras trocas de mensagens envolvem Gonçalo Rodrigues, do Gabinete de Apoio ao Atleta e Modalidades Profissionais do Sporting, que ontem suspendeu as suas funções no clube.

O outro empresário e o elemento do Sporting serviriam de tampão entre o corruptor e André Geraldes, atual vice-presidente de Alvalade, que nega qualquer esquema de corrupção. De acordo com Paulo Silva, este dirigente seria a cabeça do esquema de corrupção que terá permitido aos leões serem campeões de andebol na época passada, além de várias vitórias em jogos de futebol.

Paulo Silva entregou ao Ministério Público mensagens em que comenta com os dois interlocutores o comportamento dos jogadores de futebol, alegadamente comprados. As instruções dadas aos atletas por Paulo Silva seriam no sentido de darem "espaço ao Bas Dost", para que este pudesse marcar golos.

Ao que apurámos, estarão a ser investigados jogos do Sporting frente ao Guimarães, Feirense, Chaves, Tondela, Aves e Estoril. Serão estas as equipas a que pertencem atletas que Paulo Silva garantiu ter abordado, dando conta, por WhatsApp, dessas diligências ao outro intermediário.

Jogador nega corrupção

O JN contactou ontem um dos jogadores referidos nas mensagens. Negou ter participado num esquema de corrupção. "Não conheço esse senhor [Paulo Silva], nunca estive com ele, nem nunca entrei em esquemas destes. Isso é pura invenção", disse o atleta do Guimarães, que participou num encontro em que o Sporting venceu por 5-0, a 19 de agosto passado.

Em relação ao campeonato de andebol, o suposto "arrependido" Paulo Silva assegurou ao Ministério Público que recebia 350 euros por cada árbitro que conseguia corromper. O clube de Alvalade também assumiria as despesas com deslocações.

Um dos jogos em que garante ter comprado a equipa de arbitragem foi o Benfica-F. C. Porto do ano passado. Uma derrota dos azuis e brancos beneficiava os leões na luta pelo título. Diz que no final do encontro terão sido pagos três mil euros à dupla de arbitragem, em Braga. Assegurou ainda ter oferecido dois mil euros a um dos árbitros que apitaram a partida entre Sporting-F. C. Porto. O árbitro terá aceitado a proposta mas, como o Sporting perdeu a partida, o dinheiro não foi entregue.

ver mais vídeos