Crime

Todos os passos do homem que matou a sogra e a filha no Seixal

Todos os passos do homem que matou a sogra e a filha no Seixal

Pedro Henriques, 39 anos, suicidou-se depois de ter esfaqueado mortalmente a sogra, na segunda-feira, e matado a filha de dois anos, com quem fugiu de carro, depois do primeiro crime, no Seixal.

Insultou sogro e matou sogra

Na segunda-feira de manhã, Pedro Henriques deslocou-se à casa dos sogros, onde reside a antiga companheira, na Rua do Minho, junto à igreja de Cruz de Pau, em Amora, Seixal, onde terá cometido o primeiro assassinato. Quando a sogra, Helena Cabrita, de 60 anos, lhe abriu a porta, esfaqueou-a no pescoço e no peito, provocando-lhe a morte. No carro do presumível homicida, estava a filha à espera. Antes do crime, ocorrido cerca das 8.40 horas, o homem terá estado no café da família, onde insultou o sogro.

Seguiu para Corroios, onde filha foi encontrada morta

O homem colocou-se em fuga com a filha, que foi encontrada sem vida, esta terça-feira de manhã, junto da zona do McDonald's de Corroios, no concelho do Seixal. Segundo apurou o JN, terá ligado para o INEM a dizer onde estava o corpo da filha e a avisar que se ia suicidar. Da casa dos sogros até àquela zona, terá percorrido uma distância de cerca de quatro quilómetros, equivalente a menos de 10 minutos de carro.

Suicidou-se em Castanheira de Pera

Pouco depois de a menor de dois anos ter sido encontrada sem vida, Pedro Henriques foi encontrado morto na casa dos pais, em Castanheira de Pera, no distrito de Leiria. Para chegar àquela vila, e partindo do princípio que não fez nenhuma paragem, teve de percorrer uma distância de, pelo menos, 207 quilómetros até ao local. De carro, o percurso demora cerca de 2 horas e 10 minutos.

Ainda esta manhã, a mãe da menina que foi encontrada sem vida em Corroios, antiga companheira do alegado homicida, esteve numa dependência bancária na Quinta do Conde, Sesimbra, de onde se recusou a sair, temendo ser perseguida pelo homem. Depois de chamada ao local, a GNR informou a mulher de que o indivíduo tinha sido encontrado sem vida e conduziu-a para casa, no Seixal.

A família das vítimas está a receber apoio psicológico do INEM.