Azambuja

Investigação à morte de 540 animais em montaria continua e motivou 14 buscas

Investigação à morte de 540 animais em montaria continua e motivou 14 buscas

Casas e empresas de pessoas ligadas à organização da caçada na Herdade da Torre Bela, realizada há cerca de ano e meio, foram os alvos da operação da GNR. Foi apreendida documentação e detido um homem na posse de munições proibidas

A investigação à montaria realizada, em dezembro de 2020, na Herdade da Torre Bela, Azambuja, que acabou com a morte de 540 animais, continua e, ano e meio depois, motivou a realização de 14 buscas a casas e empresas. Na operação levada a cabo pela GNR, um homem, de 53 anos, foi detido por ter na sua posse munições de calibre proibido.

PUB

O caso chocou o país quando, em dezembro de 2020, foram tornadas públicas fotografias de alguns caçadores no meio das carcaças de 540 animais. Na ocasião, apurou-se que os veados e javalis tinham sido mortos durante uma montaria organizada pela empresa Huntings Spain and Portugal, Monteros de La Cabra, e contou com a participação de 16 caçadores.

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) considerou, então, que a montaria realizada na Herdade da Torre Bela evidenciava "o abate de um excessivo número de exemplares de espécies cinegéticas" e "fortes indícios de uma gestão não sustentável da exploração do efetivo de caça existente" na propriedade.

O ICNF apontou ainda "dificuldades de controlo do cumprimento das exigências a observar na emissão de títulos de caça para não residentes em território português", assim como "no que se refere à venda de selos para marcação dos exemplares de caça maior abatidos em zonas de caça".

Na altura, o Ministério Público também anunciou a "instauração de um inquérito que corre termos no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa Norte (Alenquer)". E foi no âmbito dessa investigação que, cerca de ano e meio depois, a GNR de Lisboa, através do Núcleo de Investigação de Crimes e Contraordenações Ambientais, "deu cumprimento a 14 mandados de buscas, seis domiciliárias e oito em empresas, nos distritos de Lisboa, Santarém e Portalegre". Um comunicado da GNR refere ainda que, na operação ocorrida nesta terça-feira, "foram apreendidos diversos documentos relacionados com a investigação".

O JN sabe que os alvos das buscas estão todos ligados à organização montaria durante a qual foram mortos 540 animais. Um desses alvos acabou por ser detido por estar na posse de munições de calibre 6.35 e 7.65 mm, que não usadas em armas de caça e estão proibidas por lei.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG