Operação Marquês

Ivo Rosa "parecia o advogado de Sócrates", diz Paulo de Morais

Ivo Rosa "parecia o advogado de Sócrates", diz Paulo de Morais

O presidente da Frente Cívica, Paulo de Morais, disse esta sexta-feira que o juiz Ivo Rosa, que proferiu a decisão instrutória do processo Operação Marquês, "parecia o advogado de defesa de José Sócrates".

"O juiz Ivo Rosa não pareceu um juiz de instrução. Parecia o advogado de defesa de José Sócrates", afirmou à agência Lusa o também cofundador e sócio honorário da associação Transparência e Integridade, dedicada à denúncia de fenómenos de corrupção.

Ivo Rosa, juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal, determinou esta sexta-feira que o antigo primeiro-ministro José Sócrates vai a julgamento por três crimes de branqueamento de capitais e três crimes de falsificação de documentos, mas decidiu não pronunciar Sócrates por crimes de corrupção e de fraude fiscal.

O Ministério Público já anunciou que vai recorrer da decisão de Ivo Rosa.

Dos 28 arguidos no processo Operação Marquês (19 pessoas e nove empresas), vão a julgamento José Sócrates e o empresário Carlos Santos Silva, o antigo ministro e ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos Armando Vara, por um crime de branqueamento de capitais, e o ex-presidente do Grupo Espírito Santo Ricardo Salgado, por três crimes de abuso de confiança.

João Perna, ex-motorista de José Sócrates, vai ser julgado por um crime de detenção de arma proibida.

PUB

No processo estavam em causa 189 crimes económico-financeiros.

José Sócrates foi detido em novembro de 2014. O despacho de acusação ao antigo primeiro-ministro e mais 27 arguidos foi conhecido em outubro de 2017.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG