Lisboa

Jovem que matou Beatriz Lebre encontrado morto na cadeia

Jovem que matou Beatriz Lebre encontrado morto na cadeia

Ruben Couto, homicida confesso de Beatriz Lebre, foi encontrado morto, este domingo à noite, no Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL), avança a SIC Notícias.

O jovem, de 25 anos, foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) no final de maio e confessou ter assassinado a colega de faculdade, de 23 anos e natural de Elvas, por quem teria uma obsessão. Ambos estudavam no Instituto Universitário de Lisboa - ISCTE.

Após cometer o crime, no apartamento onde a vítima residia, em Lisboa, e tendo usado como arma um bastão, atirou o corpo de Beatriz ao Tejo.

Dois dias após ser detido - e não muito longe do local onde Ruben indicara ter-se desfeito do corpo e da arma do crime - o cadáver de Beatriz foi encontrado.

Depois do homicídio, Ruben limpou o apartamento, na tentativa de apagar os rastos de violência e os vestígios do crime. Também limpou o carro do pai, que transportou o corpo de Beatriz até ao Cais da Matinha, em Lisboa. No entanto, tanto na casa como no veículo, a PJ encontrou vestígios de sangue, invisíveis a olho nu.

Quando foi ouvido pelos inspetores, depois de a mãe da vítima ter dado conta do desaparecimento e se ter deslocado de Elvas ao apartamento de Chelas, em Lisboa, Ruben começou por assegurar desconhecer o paradeiro da amiga.

Mas as contradições do discurso levaram a PJ a suspeitar dele. Acabou, depois, por confessar o crime, deixando os colegas de faculdade em choque. Amigos do mestrado em psicologia com quem o JN falou consideravam Ruben uma pessoa muito sociável e de bom trato.

Depois de ser detido, o estudante automutilou-se na cadeia anexa à PJ e teve de ser internado no hospital.