Reação

Lula ao lado de atores cujos filhos sofreram racismo em Portugal: "Nenhuma mãe ou pai merece"

Lula ao lado de atores cujos filhos sofreram racismo em Portugal: "Nenhuma mãe ou pai merece"

Várias personalidades, entre as quais Lula da Silva, recorreram às redes sociais para mostrar apoio à atriz brasileira cujos filhos foram alvo de insultos racistas e xenófobos, este sábado, na Costa de Caparica.

A atriz Giovanna Ewbank e o ator Bruno Gagliasso receberam uma enorme onda de apoio, na sequência dos comentários insultuosos de cariz racista de que os filhos do casal (Titi, de nove anos, e Bless, de sete) foram vítimas, num restaurante da Costa de Caparica, a par ainda de outra família de turistas.

Lula da Silva, ex-presidente brasileiro e candidato às presidenciais de outubro, foi um dos que se pronunciou. "Nenhuma mãe ou pai merece ver os seus filhos serem vítimas de ofensas racistas. A minha solidariedade a Giovanna Ewbank, Bruno Gagliasso, à sua família e também aos turistas angolanos que sofreram ataques racistas ontem. Vamos construir um mundo sem racismo", escreveu Lula, na sua conta oficial de Twitter.

PUB

A escritora Eliana Alves Cruz, a atriz Bruna Marquezine e o youtuber Felipe Neto foram algumas das figuras públicas que também se manifestaram.

"Portugal não é lugar para vocês"

O caso aconteceu no sábado quando a família estava no Clássico Beach Club By Oliver, na Costa de Caparica. A GNR acorreu ao restaurante, chamada para uma situação de desacatos, tendo os militares sido interpelados pelo casal, de férias em Portugal, que denunciou insultos de teor racista proferidos por uma mulher contra os seus filhos. De acordo com os atores, a autora das injúrias disse-lhes para voltarem para África e para o Brasil. "Portugal não é lugar para vocês", terão ouvido os menores.

O restaurante já se pronunciou sobre o episódio nas redes sociais, onde "repudia em absoluto o episódio de racismo ocorrido a partir do exterior do restaurante". O Clássico Beach Club no Brasil também emitiu um comunicado no Instagram, informando que a autora dos insultos racistas está banida em todos os restaurantes da rede.

Detida por injuriar GNR

Os elementos da GNR identificaram os visados, tendo em vista a apresentação de queixa posterior e abertura de processo-crime pelos queixosos, quando eles próprios foram alvos de injúrias por parte da suspeita. O momento, testemunhado por várias pessoas, ocorreu já fora das instalações do restaurante, quando os guardas acompanhavam a suspeita para ser identificada.

A mulher foi, nesse momento, detida por injúrias aos militares da GNR e levada para o posto. Saiu em liberdade com a obrigação de se apresentar esta segunda-feira ao Ministério Público, onde apresentará a sua defesa. O processo seguirá depois os trâmites legais e a mulher pode vir a ser julgada pelos insultos à GNR.

O casal apresentou, no domingo, a queixa formal no posto contra a suspeita. A denúncia foi encaminhada para o Ministério Público, que deve juntá-la ao caso dos insultos aos militares. Apesar de os dois casos terem acontecido em momentos distintos, estão relacionados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG