Decisão

Marinha exonera capelão por críticas a Gouveia e Melo no caso da morte de PSP

Marinha exonera capelão por críticas a Gouveia e Melo no caso da morte de PSP

O capelão da Marinha, Licínio Luís, foi exonerado de funções, na sequência da uma publicação que fez no Facebook, contra as declarações proferidas pelo Chefe de Estado-Maior da Armada (CEMA), Gouveia e Melo, e em defesa dos dois fuzileiros envolvidos numa cena de pancadaria, dia 19, à porta de uma discoteca de Lisboa, que resultou na morte de um agente da PSP.

"Os jovens estavam a divertir-se e foram provocados (..). O senhor Almirante nunca foi para a noite? Nunca bebeu uns copos?", escreveu o capelão.

Licínio Luís acabaria por apagar aquela mensagem, mas esta terça-feira, a mesma foi noticiada nos sites de vários jornais, incluindo o JN. E, questionada, a Marinha acabou por reagir ao princípio da noite. "À data de hoje, 29 de março, o Sr. Capelão encontra-se exonerado", comunicou o porta-voz da Marinha, confirmando que aquele "teve uma audiência com o Sr. Almirante CEMA".

PUB

O capelão não tinha gostado das declarações de Gouveia e Melo no dia do funeral de Fábio Guerra, de 26 anos. "Os acontecimentos do último sábado já mancharam as nossas fardas, independentemente do que vier a ser apurado", disse o almirante, chamando "covardes" a quem pontapeia "um ser caído no chão".

O capelão, com milhares de seguidores no Facebook, reagiu com um conselho: "O senhor Almirante que aguarde pela justiça". "Os jovens estavam a divertir-se e foram provocados", escreveu também Licínio Luís, em defesa dos dois fuzileiros envolvidos na pancadaria. "Os nossos jovens têm direito a serem respeitados. Os jovens da PSP estavam no mesmo âmbito e alcoolicamente tão bem dispostos como os nossos. Juízo com os nossos julgamentos", pediu o padre.

Fuzileiros em prisão preventiva

Os fuzileiros suspeitos do homicídio do polícia, Cláudio Coimbra, de 22 anos, e Vadym Hrynko, de 21, foram detidos pela Polícia Judiciária e estão em prisão preventiva. O terceiro suspeito do homicídio, um civil, anda a monte

Entretanto, no Facebook, abundam mensagens de apoio ao capelão, também ele fuzileiro, de antigos e atuais camaradas. "Nunca caminharás
sozinho" ou "Que a verdade seja reposta e a honra mantida", são duas delas.

Na mesma rede social, foi ainda criado um grupo de apoio a Licínio Luís, que contava, esta sexta-feira à tarde, com quase 1500 membros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG