Crime

Pai e madrasta de Valentina ficam em prisão preventiva

Pai e madrasta de Valentina ficam em prisão preventiva

Sandro, pai de Valentina, e Márcia, a madrasta da criança, vão ficar em prisão preventiva, decidiu, esta quarta-feira, o juiz de instrução criminal do tribunal de Leiria.

A madrasta da menina está indiciada por homicídio qualificado por omissão e dolo eventual. Sandro é suspeito por homicídio qualificado e violência doméstica. Ambos estão indiciados por profanação de cadáver, em coautoria.

A decisão foi lida esta manhã por uma funcionária judicial, após os dois arguidos terem abandonado o tribunal de Leiria em veículos da Polícia Judiciária.

Valentina foi agredida durante quatro dias antes de morrer às mãos dos últimos violentos maus-tratos infligidos pelo pai, na última quarta-feira, em Peniche. A madrasta terá contribuído para o clima de tensão entre pai e filha porque não queria aquela criança dentro de casa, onde já viviam os seus três filhos. O casal foi ouvido na terça-feira por um juiz de instrução criminal do Tribunal de Leiria, onde Sandro, 32 anos, e Márcia, de 36, foram vaiados.

A criança, de 9 anos, foi dada como desaparecida na manhã de quinta-feira, depois de uma denúncia do pai no posto de Peniche da GNR. Após três dias de buscas, a Polícia Judiciária (PJ) de Leiria encontrou o corpo da criança no domingo, numa mata na Serra D'el Rei, no concelho de Peniche, distrito de Leiria, e deteve o pai e a madrasta da vítima.

Outras Notícias