Peniche

PJ acredita que Valentina morreu em casa e não foi um acidente

PJ acredita que Valentina morreu em casa e não foi um acidente

A Polícia Judiciária adiantou, este domingo à tarde, em conferência de imprensa, que Valentina terá sido morta em casa durante o dia de quarta-feira.

Em conferência de imprensa, a Polícia Judiciária (PJ) disse existir "fortes indícios" de crime de homicídio e ocultação de cadáver da menina de nove anos, desaparecida em Peniche, por parte do pai e da madrasta da menor. "Nas entrevistas e inquirições às pessoas, fizemos a correlação entre os dados e consoante o que tínhamos em cima de mesa, colocámos todas as hipóteses, até encontramos indícios de condutas criminosas", disse o coordenador da PJ de Leiria.

Aos jornalistas, a PJ referiu ainda que Valentina terá morrido em casa na passada quarta-feira e que não terá sido um acidente. "Questões internas do funcionamento da família terão levado a este desfecho", esclareceu a mesma força policial, que este domingo à tarde continua a realizar perícias no local onde o corpo da criança de nove anos foi encontrado.

Valentina estaria a passar uns dias em casa do pai, em Atouguia da Baleia, Peniche. Na habitação residiam o pai, Sandro Bernardo, e a madrasta da criança, Márcia, ambos com cerca de 30 anos, e mais três menores (um com menos de um ano e outros dois com 4 e 11/12 anos). A PJ não revela, para já, a causa da morte.

O pai da menor terá chegado, durante a tarde deste domingo, numa viatura descaracterizada da Polícia Judiciária à habitação onde a família residia para reconstituir o alegado crime. O JN sabe que o caso estará a ser acompanhado pela Comissão de Proteção de Menores, uma vez que o casal tinha mais filhos menores.

Na freguesia de Atouguia da Baleia, em Peniche, as homenagens a Valentina já começaram. Uma senhora colocou um ramo de flores perto da habitação onde a menina residia.

PUB

Valentina estava desaparecida desde quinta-feira de manhã em Peniche e foi encontrada morta este domingo de manhã, num descampado perto de um eucaliptal. O corpo estava tapado entre arbustos na Serra D' El Rei, num pinhal, em Peniche.

O pai e madrasta foram detidos ainda durante esta manhã. Ambos estão indiciados pelos mesmos crimes, onde se inclui homicídio e ocultação de cadáver. Não há mais suspeitos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG