Exclusivo

Polícia aperta o cerco a carteiristas que circulam pela Europa

Polícia aperta o cerco a carteiristas que circulam pela Europa

Redes estrangeiras são responsáveis por "parte importante" dos furtos, mas especialização policial e cooperação internacional diminuíram o seu conforto.

Os carteiristas que circulam pela Europa à boleia dos fluxos turísticos já são autores de uma "parte importante" dos furtos do género em Portugal. Mas a atuação, em cooperação com outros países, de uma equipa policial criada há quatro anos em Lisboa para combater o fenómeno, está a deixar estes grupos "menos confortáveis" em mandar os seus operacionais para território nacional.

A garantia é dada pela PSP, que, no primeiro semestre deste ano, registou 2318 furtos por carteiristas, mais de 75% dos quais nos distritos de Lisboa (1176) e do Porto (604). Dados que apontam para que, a manter-se a tendência, o número de crimes seja, no final de 2022, superior aos verificados em 2020 e 2021 - marcados por fortes restrições na circulação entre Estados -, mas inferior ao de 2019, último ano pré-pandemia de covid-19, em que foram contabilizados 8228 ataques de carteiristas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG