Lisboa

Suspeitos da morte de filho de ex-PJ ficam em prisão preventiva

Suspeitos da morte de filho de ex-PJ ficam em prisão preventiva

Os três suspeitos do homicídio de um jovem de 24 anos, em Lisboa, em dezembro, que foram detidos na segunda-feira pela PJ e confessaram o crime, ficaram em prisão preventiva.

Os três suspeitos, de 16, 17 e 20 anos, referenciados pelas autoridades por efetuarem assaltos na zona da Cidade Universitária, em Lisboa, foram detidos na manhã de segunda-feira na zona de Queluz. Estavam em fuga desde que mataram à facada o jovem, filho de um ex-inspetor da PJ, junto ao McDonald's do Jardim do Campo Grande, na noite de 28 de dezembro.

PUB

Os detidos confessaram o envolvimento no crime e foram presentes a primeiro interrogatório judicial esta terça-feira, onde ficaram conhecer as medidas de coação, que é a prisão preventiva. O JN sabe que o indivíduo que desferiu os golpes mortais é o suspeito de 17 anos.

A Polícia Judiciária comunicou na segunda-feira a apreensão de "elementos de natureza probatória demonstrativos da prática dos crimes", entre os quais uma arma branca. Foi apreendida ainda uma quantidade de cocaína superior a cinquenta doses individuais.

Vítima atingida com três facadas

De acordo com informações recolhidas pelo JN, Pedro Fonseca, recém-formado em Engenharia Informática, foi encontrado com vários golpes provocados por uma arma branca, num parque de estacionamento entre o restaurante de "fast-food" e a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Terá sido abordado quando se dirigia para o carro. O jovem ainda foi assistido no local pelo INEM, mas acabou por não resistir aos ferimentos. Terá sido atingido, no total, com três facadas, depois de ter recusado entregar os seus pertences aos assaltantes, que fugiram após o esfaqueamento.

O jovem, filho de um inspetor da PJ aposentado há seis anos, iria começar a trabalhar em breve numa empresa da Grande Lisboa. Não haverá, à partida, qualquer relação entre o crime e o trabalho do pai, desenvolvido na área da investigação do furto e viciação de veículos.

Várias queixas

O crime surpreendeu os frequentadores habituais do antigo edifício do Caleidoscópio, reconvertido há poucos anos num restaurante McDonald's e num centro de estudo aberto 24 horas por dia.

O JN sabe que a PSP recebeu, recentemente, queixas sobre um trio que se dedicará a assaltar estudantes nas imediações daquele espaço. Mas, no dia do homicídio de Pedro Fonseca, seguranças, funcionários e utilizadores do espaço garantiram que o local é seguro. O mesmo foi referido por estafetas de entrega de comida que, por norma, ali param enquanto aguardam por serviços.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG