Porto

Três detidos em mega-operação na Pasteleira Nova

Três detidos em mega-operação na Pasteleira Nova

Mais de 50 elementos efetuaram esta manhã de segunda-feira uma "tomada de terreno" nos bairros da Pasteleira Nova e Pinheiro Torres. A operação de grande envergadura visou "manter a paz e a tranquilidade pública".

Pelas 9.30 horas, mais de 50 elementos da PSP e da Polícia Municipal entraram no bairro da Pasteleira Nova, em Lordelo do Ouro. A operação, acompanhada pelo presidente da Câmara do Porto e pela comandante da PSP do Porto, focou-se nos espaços comuns e visou libertar as entradas de um conjunto de "parafernália e objetos" que obstruíam o acesso aos edifícios

Durante a operação foram feitas três detenções: duas por tráfico de estupefacientes e uma por condução ilegal de veículo. Foram apreendidas várias substâncias estupefacientes ainda por contabilizar.

Objetivos cumpridos

Para o presidente da Câmara do Porto, os objetivos foram cumpridos. "Houve apreensões, houve algumas detenções e, acima de tudo, houve a limpeza de espaços comuns e a retirada de alguns automóveis abandonados", afirmou Rui Moreira no local.

Conseguiu-se "restituir os espaços públicos a estes moradores que não querem nem podem viver sequestrados".

PUB

"Não é para ser hoje"

Após elogiar a atuação conjunta entre PSP e Polícia Municipal, o autarca avisou que "não é para ser hoje. É para ser assim neste bairro e noutros, para repor a normalidade".

Rui Moreira explicou que há um grande problema de tráfico e com a criminalidade a ele associado. "Esse tráfico convive melhor em algumas zonas. Este bairro [Pasteleira Nova], pela forma como foi construído, proporciona maiores esconderijos e propicia um conjunto de vantagens para o tráfico", lamentou, justificando assim a necessidade de limpar os acessos e os espaços comuns.

Entre 50 a 60 agentes

Estiveram no terreno entre 50 a 60 agentes de várias valências da PSP - Corpo de Intervenção; Equipas de Prevenção e Reação Imediatas, Equipas de Reação Rápida, Investigação Criminal e apoio do Grupo Cinotécnico - e também da Polícia Municipal.

"Foi uma operação de visibilidade e prevenção criminal com objetivo de manter a paz e a tranquilidade pública e aferir eventuais ilícitos", explicou o comissário Sérgio Ramos, da PSP do Porto. Segundo o responsável policial, a operação não vinha com alvos marcados. "Foi uma tomada de terreno", explicou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG