Ourique

Dois anos depois, o porco alentejano volta a reinar

Dois anos depois, o porco alentejano volta a reinar

Depois de dois anos de não realização devido à pandemia de covid-19, a Feira do Porco Alentejano (FPA), uma referência no Mundo Rural e que afirma o concelho como Capital da fileira, o certame está de regresso a Ourique.

A edição de 2022 da FPA, realiza-se entre amanhã e domingo, estando a gerar uma grande expectativa junto de expositores locais e outros de fora da região, mas em particular na hotelaria e restauração locais que acreditam na revitalização do sector.

Para o tão desejado regresso, a Câmara Municipal de Ourique e a Associação de Criadores do Porco Alentejano (ACPA), entidades organizadoras, introduziram algumas novidades, como a presença de Pinhel, distrito da Guarda, como região convidada e a realização do primeiro concurso de linguiças caseiras.

A seca, como um dos temas preocupantes dos últimos tempos, também será debatida, visando perceber quais os impactos no território e que soluções a adotar, tendo como garantida que a chamada região do Campo Branco vive momentos complicados devido à falta de água.

O presidente da Câmara de Ourique justificou ao JN que "são evidentes as necessidades de reforçar a capacidade geral de resiliência por via da ligação da barragem do Roxo, enquanto afluente de Alqueva, à barragem do Monte da Rocha", sustentou Marcelo Guerreiro.

A Capital do Porco Alentejano, como é conhecida Ourique, tem na produção de presuntos e enchidos uma das suas grandes riquezas económicas e além do corte e degustação dos presuntos do suíno da região, a realização do concurso de linguiça caseira tem um objetivo muito definido. "Visa promover o fabrico artesanal, como produto oriundo da nossa região, mantendo a tradição da manufatura de enchidos de forma manual, mantendo a qualidade dos nossos produtos", defendeu o autarca ouriquense.

A presença de Pinhel como região convidada, parte do pressuposto de ser um território com uma forte tradição agrícola e vitivinícola, passando pelo "cruzamento" do vinho resultante de vinhas plantadas entre os 300 e os 600 metros com os produtos de o porco criado em extensivo e alimentado de produtos do campo.

PUB

Para Marcelo Guerreiro "é importante este cruzar de saberes e sabores, com uma região muito distinta do Alentejo, que visa promover os vinhos de Pinhel como o principal embaixador daquele território, com um produto de excelência do Alentejo e toda a região sul de Portugal", concluiu.

Ao longo dos três dias da Feira do Porco Alentejo, existirão exposições de exemplares do porco alentejano, provas de produtos, tasquinhas com produtos da região, com as entradas no certame a serem gratuitas.

Recuperar a expansão internacional

Na sequência da realização em 2013 do VII Congresso Mundial do Presunto e ter recebido diversas delegações internacionais, a Feira do Porco Alentejano contará esse ano com a presença de uma delegação de produtores de suínos da Croácia.

Amanhã, primeiro dia do certame, Anita Trsic, Embaixada da Croácia em Portugal, visitará a feira como forte sublinhado da estratégia de sustentação de redes europeias de valorização da ruralidade e capacidade produtiva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG