Covid-19

Autarca de Gondomar fala em discriminação e reclama mais testes

Autarca de Gondomar fala em discriminação e reclama mais testes

Centro de rastreio do concelho está preparado para realizar até 400 testes por dia mas só está a fazer 30 a 50 por "falta de material"

O presidente da Câmara de Gondomar, o quarto concelho do país com mais casos positivos da COVID-19, mostra-se revoltado com a falta de testes e acusa da Direção-Geral de Saúde de beneficiar outras zonas em detrimento da região Norte a mais afetada pela pandemia do novo coronavírus.

Marco Martins dá o exemplo do hospital de campanha montado no Pavilhão Multiusos da cidade, em parceria com a Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) e a Unilabs Portugal, um centro de rastreio móvel para despistagem da COVID-19, que entrou em funcionamento a 31 de março, com capacidade para realizar 400 testes por dia e onde estão a ser feitos 30 a 50, "por falta de material".

No concelho há empresas, onde foram detetados casos positivos, a funcionar por falta de rastreio aos restantes funcionários. A Esquadra da PSP de Rio Tinto tem dez agentes infetados e para além das forças de segurança é necessário testar bombeiros, funcionários de estabelecimentos com atendimento ao público e trabalhadores das IPSS do concelho. No centro de testes de Gondomar, há mais de 1.250 pessoas a quem já está prescrito fazer teste mas que continuam a aguardar por falta de material.

"Compreendo que há situações dramáticas vividas em todo o país mas não compreendo a entrega pela DGS de dez mil testes para a região Centro, mais mil para o Algarve. Não compreendo essa discriminação positiva quando o Norte tem cinco vezes mais casos que essas regiões", afirma o autarca.

Gondomar continua a ser, de acordo com os números atualizados hoje pela DGS, o quarto concelho do país com mais pessoas infetadas, com um total de 528, só ultrapassado por Lisboa, Porto e Vila Nova de Gaia. Com 168.027 habitantes, quase 0,32% da população está infetada.

O centro de rastreio está desde 31 de março a funcionar no parque de estacionamento do Multiusos de Gondomar, funcionando de segunda-feira a sábado, das 9 às 18 horas e destina-se a cidadãos suspeitos de infeção, previamente referenciados pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS), e com marcação prévia através do telefone 220125001 (Unilabs).

A colheita de amostras para rastreio da doença tem como objetivo testar doentes, complementando os serviços hospitalares existentes, em condições de conforto e segurança, num modelo "drive thru". Desta forma, os pacientes que se desloquem a este centro de rastreio não entram em contato direto com outros cidadãos, reduzindo também o risco de infeção aos profissionais envolvidos nos testes. Os resultados são depois enviados diretamente para o paciente e para as autoridades de saúde pública.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG