Prova

Febre do rali junta milhares em Monção a um sábado à noite

Febre do rali junta milhares em Monção a um sábado à noite

A primeira prova noturna do Rali à Lampreia atraiu, este sábado à noite, alguns milhares de pessoas ao centro da vila de Monção.

Cinquenta e um pilotos, entre os quais duas mulheres, exibiram as suas (mais ou menos) ruidosas e fumegantes "máquinas" no circuito de perícia criado na Praça Deu-la-Deu. E a febre dos ralis tomou conta da multidão.

O melhor tempo (54, 233 segundos) foi conseguido pelo piloto António Borges, com o seu Lotus Seven 2.0, seguido de Eduardo Gonçalves, com um Dayhatsu Fellow Evo (56,925 segundos) e de Jorge Almeida com um VW Polo R (57, 550 segundos). As duas pilotos participantes ficaram praticamente lado a lado na tabela classificativa: Isabel Vieira, com um Mini Cooper Diesel, fez a prova em 1.19, 605 minutos e Sofia Mouta, com um Audi TT e, 1.20,560 minutos.

A estreia da prova noturna no rali de Monção, que se realiza desde 1967 e este ano cumpre a sua 42ª edição, foi aplaudida pela multidão, decorreu sem incidentes e deixou radiante o presidente da Câmara local. "Como correu? Está à vista: Milhares de pessoas em Monção, hotelaria totalmente cheia, restauração, cafés e pastelarias a rebentar pelas costuras. Nós só pegamos numa prova que já está tem muita fama e fizemos dela um evento com um ar inovador", declarou o autarca António Barbosa, referindo: "É a primeira vez que o Rali da Lampreia enche tudo e mais alguma coisa em Monção, porque o facto de o termos trazido para o sábado à noite fez com que as pessoas tivessem de vir no dia anterior".

O evento, organizado pelo Parallel Velocity Club, prossegue este domingo, com classificativas de manhã e de tarde, com o já tradicional almoço de lampreia para a comitiva de pilotos e organizadores, pelo meio.

Imobusiness