Tragédia

Incêndio em associação de Tondela faz oito mortos

Incêndio em associação de Tondela faz oito mortos

Um incêndio numa associação recreativa em Tondela fez pelo menos oito mortos e 38 feridos.

O fogo deflagrou pelas 20.51 horas, na Associação Cultural, Recreativa e Humanitária de Vila Nova da Rainha, no concelho de Tondela. Um incêndio numa salamandra que se propagou rapidamente matou oito pessoas e fez 38 feridos (10 em estado grave, entre eles um menor).

Das oito vítimas mortais, quatro - três homens e uma mulher - viviam em Vila Nova da Rainha, localidade que está em estado de choque. O mais novo com 56 anos e os restantes na casa dos 60. As restantes vítimas mortais são de fora da povoação.

O encontro desta noite era um convívio anual muito popular na zona, que se realizava já há anos.

A associação estava cheia, animada por um torneio de sueca. Aos participantes, juntaram-se os adeptos de futebol para assistir ao jogo entre Braga-Benfica.

A associação "é muito ativa e está no centro desta comunidade", lembrou José António Jesus, presidente da Câmara Municipal de Tondela. É um dos pontos de encontro da união de freguesias de Mouraz e Vila Nova da Rainha. Não admira, por isso, que em dia de torneio de sueca e de jogo de futebol estivessem cerca de 60 pessoas na sede.

Fogo, fumo e pânico

Os primeiros relatos apontam para uma ignição na salamandra, instalada no piso superior. "O teto do primeiro andar foi atingido pelas chamas. A propagação foi muito rápida, gerou muito fumo e uma grande concentração de monóxido de carbono", assinalou o autarca, consternado por mais uma tragédia no concelho, que acontece três meses depois dos fogos florestais de outubro e que mataram várias pessoas no município.

O que se seguiu foram momentos de pânico que culminaram em tragédia, com pessoas que foram pisadas, e outras em aflição para tentar abrir uma porta que estava fechada.

Feridos transportados para vários hospitais

Treze dos feridos estão internados no hospital de Viseu e outros 16 feridos foram enviados para unidades em Lisboa, Porto e Coimbra.

Ainda assim, as chamas foram extintas em cerca de uma hora, tendo sido mobilizados 168 operacionais. Três helicópteros do INEM e da Força Aérea Portuguesa seguiram para o estádio do Tondela para garantir o rápido transporte dos feridos.