Inglaterra

Morreram duas das vítimas do ataque "terrorista" na Ponte de Londres

Morreram duas das vítimas do ataque "terrorista" na Ponte de Londres

Um homem foi abatido pela Polícia, esta sexta-feira, depois de ter esfaqueado várias pessoas na Ponte de Londres. Duas das vítimas morreram. Suspeito já tinha sido condenado por terrorismo.

O atacante, abatido a tiro, esfaqueou várias pessoas que passavam por volta das 14 horas na Ponte de Londres, entretanto reaberta à circulação. Há pelo menos oito feridos e duas vítimas mortais, civis que passavam na zona, confirmaram as autoridades locais.

De acordo com o jornal britânico "The Guardian", o suspeito já tinha sido condenado por terrorismo e tinha ligações a grupos terroristas islâmicos. O mesmo jornal adianta que o homem usava uma pulseira eletrónica, medida aplicada depois de ter sido libertado da prisão. Estava referenciado pelas autoridades, incluindo o MI5, os serviços secretos britânicos.

Neil Basu, da Polícia Metropolitana de Londres, confirmou que o ataque está a ser encarado como um ato terrorista. "Estou agora na posição de confirmar que foi declarado como incidente terrorista", assumiu. Em conferência de imprensa, à porta da Scotland Yard, confirmou que o suspeito foi abatido no local. O responsável disse ainda que o atacante usava um colete com explosivosfalso. As investigações estão agora nas mãos do comando contraterrorista da polícia metropolitana.

Atacante travado por quem passava na ponte

Num dos vários vídeos nas redes sociais, pode ver-se um grupo de pessoas à volta de um homem antes da chegada da polícia. Um dos envolvidos - sabe-se agora que era um guia turístico - terá mesmo conseguido desarmar o atacante. Depois de ter afastado as pessoas do local, a polícia terá efetuado vários disparos, abatendo o suspeito no local.

Também através do Twitter, o Serviço de Ambulância de Londres disse que respondeu a um "incidente grave" que obrigou à mobilização de vários elementos para a Ponte de Londres.

John McManus, jornalista da BBC, que estava no local na altura do incidente, testemunhou um "confronto na ponte", com "vários homens a atacarem uma pessoa".

Boris Johnson agradece às autoridades

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse estar "a ser informado" e, através das redes sociais, agradeceu às autoridades e aos serviços de emergência pela "resposta imediata" neste incidente.

O presidente da câmara de Londres também usou as redes sociais para agradecer aos serviços de emergência e lamentar os feridos que resultaram do ataque na Ponte de Londres. "Vamos manter-nos unidos e determinados face ao terrorismo. Aqueles que nos querem atacar e dividir nunca terão êxito", disse mais tarde à imprensa.

Já este mês, as autoridades britânicas passaram o nível de alerta terrorista de "severo" para "substancial", o mais baixo desde 2014. Em 2017, uma carrinha atropelou várias pessoas na Ponte de Londres e outras foram esfaqueadas no Mercado de Borough. Sete pessoas morreram.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG