Clima

Greta Thunberg chora na ONU: "Eu não devia estar aqui"

Greta Thunberg chora na ONU: "Eu não devia estar aqui"

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou esta segunda-feira que "ainda não é demasiado tarde" para atender ao que considera a emergência climática mundial. Greta Thunberg fez um discurso emocionado perante os chefes de Estado.

"A emergência climática é uma corrida que estamos a perder mas que ainda podemos ganhar. A crise climática é provocada por nós e as soluções devem vir de nós. Temos as ferramentas: a tecnologia está do nosso lado", afirmou o português perante dezenas de líderes internacionais ao abrir a Cimeira da Ação Climática, que decorre esta segunda-feira na sede da ONU.

António Guterres frisou que a cimeira de esta segunda-feira não é para discursos nem negociações, mas para ação, com compromissos concretos.

Entre as ações concretas que defende, Guterres destacou o fim dos subsídios aos combustíveis fósseis e a importância de deixar de construir mais centrais elétricas a carvão.

"Está na hora de mover os impostos dos salários para o carvão e taxar a contaminação, não as pessoas", declarou.

O secretário-geral da ONU apelou aos países para cumprirem os seus compromissos e reduzirem as emissões de dióxido de carbono em 45% até 2030, lembrando que o objetivo para todos tem que ser a neutralidade carbónica em 2050, para conter o aumento da temperatura global e limitá-lo a 1,5 graus acima dos valores médios da era pré-industrial.

"A minha geração falhou na sua responsabilidade de proteger o nosso planeta. Isso tem que mudar", afirmou, destacando que "os jovens estão a oferecer soluções, insistindo na responsabilidade e exigindo ações urgentes".

Guterres lembrou os desastres naturais mais recentes, como o furacão Dorian, nas Bahamas, e as temperaturas recorde que se registam no mundo, e alertou que são uma visão do futuro se não houver uma mudança de rumo.

"A natureza está zangada. Acreditar que a podemos mudar é enganarmo-nos a nós próprios, porque a natureza contra-ataca sempre", ilustrou.

O discurso emocionado de Greta Thunberg

A jovem ativista sueca Greta Thunberg criticou esta segunda-feira os líderes mundiais pela inação face às alterações climáticas e acusou-os de lhe roubarem os sonhos e a infância.

"Como é que se atreveram? Vocês roubaram-me os sonhos e a infância com as vossas palavras vazias", disse a jovem defensora do ambiente em Nova Iorque no início da Cimeira da Ação Climática, convocada pelo secretário-geral da ONU, António Guterres.

"Eu não devia estar aqui, eu devia estar na escola, do outro lado do oceano", afirmou, emocionada, a jovem que lançou o movimento Greve Mundial pelo Clima quando em 2018 decidiu faltar às aulas para protestar junto ao parlamento sueco contra a inação dos políticos em questões ambientais.

"Vocês deixaram-nos cair. Mas os jovens começam a compreender a vossa traição", disse Greta Thunberg perante vários chefes de Estado, acrescentando: "Se vocês decidiram deixar-nos cair, eu digo-vos: nós nunca vos iremos perdoar. E não deixaremos que vocês se vão embora assim".

"O mundo está a acordar e a mudança a chegar, quer vocês gostem ou não. Obrigado", concluiu a jovem, muito aplaudida.