China

Pneumonia viral já fez quatro mortos, há caso suspeito na Austrália

Pneumonia viral já fez quatro mortos, há caso suspeito na Austrália

A Austrália aumentou o controlo de segurança dos voos provenientes de Wuhan, na China, onde surgiu uma pneumonia viral. Há um caso suspeito em Brisbane.

"Como a Austrália tem um grande número de viajantes internacionais de Wuhan e [de outras cidades da] China, estamos a implementar medidas preventivas", disse o chefe dos serviços médicos do Governo australiano, Brendan Murphy, em conferência de imprensa.

Os funcionários de fronteiras e de biossegurança farão inspeções médicas aos passageiros que chegarem à Austrália nos três voos semanais de Wuhan para Sydney, além de fornecerem aos visitantes panfletos com informações sobre os sintomas desta doença.

"Não podemos impedir completamente a entrada desta doença no país", alertou Murphy, horas antes de ser registado um caso de possível contágio de um cidadão australiano que voltou de Wuhan há poucos dias.

As autoridades do Ministério da Saúde do estado de Queensland disseram à agência de notícias espanhola EFE que colocaram em quarentena um homem que apresentava sintomas desta doença respiratória.

"Como esse homem viajou para Wuhan, passou por uma série de testes de coronavírus e permanecerá isolado até que os seus sintomas melhorem", disse um porta-voz do Ministério.

Quatro pessoas morreram e mais de 200 foram infetadas - especialistas internacionais apontam mais de mil casos de infeção - desde que o vírus foi inicialmente detetado, no mês passado, em Wuhan, um cidade do centro da China, que é também um importante centro de transporte doméstico e internacional.

Esta semana foram diagnosticados novos casos em Pequim, Xangai e Shenzhen, que faz fronteira com Hong Kong. Todos estes pacientes visitaram Wuhan recentemente.

Fora da China, quatro casos do novo coronavírus foram confirmados entre viajantes chineses na Coreia do Sul, Japão e Tailândia, todos também oriundos de Wuhan

O novo coronavírus é semelhante ao que provoca a Síndrome Respiratória Aguda Grave, mais conhecida como pneumonia atípica, que infetou os primeiros doentes no sul da China em 2002 e espalhou-se a mais de 20 países, matando quase 800 pessoas, e a Síndrome Respiratória do Médio Oriente, que foi identificada pela primeira vez em 2012 na Arábia Saudita, estendendo-se a 27 países e que causou mais de 850 mortos.

De acordo com um especialista em doenças respiratórias da Comissão Nacional de Saúde da China Zhong Nanshan, o coronavírus transmite-se por contágio humano.

OMS convoca reunião

A Organização Mundial de Saúde (OMS) convocou para quarta-feira uma reunião de peritos para avaliar se os casos de coronavírus na China constituem uma emergência de saúde pública internacional, anunciou a instituição em comunicado.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, convocou o Comité de Emergência da organização para que avalie esta possibilidade e as recomendações a seguir se for declarada a emergência de saúde pública internacional, aplicável às epidemias mais graves.

A reunião foi agendada depois de conhecido um aumento significativo de casos de infeção respiratória por um novo tipo de coronavírus. A OMS admitiu que um animal é "a fonte primária mais provável" de contágio, havendo "uma transmissão limitada de humano para humano por contacto próximo".

A emergência de saúde pública internacional foi declarada para as epidemias da gripe suína, em 2009, do vírus Zika, em 2016, e do vírus Ébola, que atingiu uma parte da África Ocidental, de 2014 a 2016, e a República Democrática do Congo, desde 2018.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG