Dubai

Campanha para libertar Latifa termina. Princesa foi fotografada com o primo na Islândia

Campanha para libertar Latifa termina. Princesa foi fotografada com o primo na Islândia

A campanha para libertar a princesa Latifa terminou depois de a filha do governante de Dubai ter sido fotografada na Islândia.

A imagem foi publicada esta segunda-feira no Instagram por uma jovem britânica que já tinha aparecido noutras fotografias com a princesa. Não é claro, contudo, até que ponto Latifa está a agir de livre vontade, recorda a "BBC".

Esta segunda-feira, a campanha "Free Latifa" divulgou um comunicado no qual confirmou que a princesa esteve com o seu primo, Marcus Essabri - a terceira pessoa na fotografia - na Islândia. "Tivemos um reencontro emocionante... Foi reconfortante vê-la tão feliz, bem e concentrada nos seus planos", disse Essabri, cuja mãe é a tia de Latifa.

"Após a reunião, foi decidido que o passo mais apropriado neste momento é terminar com a campanha Latifa Livre", lê-se na nota da capanha. "O objetivo principal (...) era ver Latifa livre, vivendo a vida que escolheu para si mesma. Claramente percorremos um longo caminho para atingir este objetivo."

David Haigh, co-fundador da campanha, afirmou que a situação atual da princesa é "a melhor posição em que esteve em termos de [...] liberdade durante duas décadas". "É perfeitamente correto e compreensível que todos precisem de olhar para tudo o que está a acontecer agora com extrema cautela e monitorizar a situação de perto", acrescentou.

Esta não é a primeira imagem que mostra a princesa em liberdade depois de Latifa ter dito que estava a ser mantida em cativeiro pelo seu pai. Isso gerou protestos internacionais, tendo a ONU pedido provas de que a jovem de 35 anos ainda estava viva.

PUB

Desde então, surgiram várias imagens de Latifa, tendo sido publicadas por Sioned Taylor, que também estava numa das fotografias em junho, que parecia mostrar as duas jovens no aeroporto de Madrid, em Espanha. Outras imagens mostraram Latifa num centro comercial e num restaurante em Dubai.

Latifa, uma entre os 25 filhos do xeque Mohammed bin Rashid al Maktoum, tentou escapar de Dubai em fevereiro de 2018. Num vídeo gravado pouco antes da sua partida, a princesa explicou que a sua vida era extremamente restrita. "Não saio do país desde 2000. Tenho pedido muito para apenas viajar, estudar, fazer qualquer coisa normal. Não deixam", disse.

A tentativa de fuga foi em vão. Uma semana depois, durante a ousada viagem marítima pelo Oceano Índico, a princesa foi apanhada por comandos que a devolveram ao Dubai.

Em fevereiro de 2021, a "BBC" transmitiu vídeos gravados secretamente pela Princesa Latifa e comunicados a amigos no exterior, nos quais descreveu a sua captura e prisão após o regresso ao Dubai. A princesa disse estar a ser mantida sozinha, sem acesso a assistência médica ou jurídica numa "villa" com janelas e portas trancadas e guardada pela polícia.

Havia preocupações na comunidade internacional de que a Princesa Latifa estaria morta, algo que a família refutou várias vezes. Em abril, Marta Hurtado, porta-voz das Nações Unidas, disse que os Emirados Árabes Unidos não forneceram provas convincentes de que ainda estava viva.

Fotografias que supostamente mostram a Princesa Latifa em público e a viajar começaram a surgir no Instagram de uma conhecida nos últimos meses. Em junho, uma nota de um escritório de advogados que afirma representar a princesa esclareceu que Latifa estará "livre para viajar aonde quiser".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG