Migrações

Frontex vai intervir nas fronteiras externas da Grécia

Frontex vai intervir nas fronteiras externas da Grécia

A Frontex, agência europeia da guarda de fronteiras e costeira, aceitou lançar uma intervenção rápida nas fronteiras externas da Grécia, para ajudar as autoridades gregas face ao fluxo de refugiados que chegam da Turquia.

"Dada a situação com rápidos desenvolvimentos que se vive nas fronteiras externas da Grécia com a Turquia, a minha decisão é aceitar o lançamento da intervenção rápida solicitada pela Grécia", anunciou o diretor-executivo da Frontex, Fabrice Leggeri, justificando que a agência deve assistir um "Estado-membro confrontado com uma situação excecional que solicite apoio urgente a nível de pessoal e equipamento de todos os Estados-membros e países associados a Schengen". O responsável lembrou que, a partir do próximo ano, a Frontex terá um corpo permanente, mas que hoje ainda "depende inteiramente dos Estados-membros", cujas contribuições são vitais.

A decisão, anunciada num comunicado divulgado em Bruxelas, surge depois de o governo grego ter solicitado, no domingo à noite, o lançamento de uma intervenção rápida nas suas fronteiras marítimas no Mar Egeu.

As intervenções rápidas nas fronteiras, sublinha a Frontex, "são concebidas para dar assistência imediata a um Estado-membro que esteja sob uma pressão urgente e extraordinária nas suas fronteiras externas, especialmente relacionada com um número vasto de cidadãos não europeus que estão a tentar entrar ilegalmente no seu território", que é o caso da Grécia, depois de a Turquia ter decidido permitir a passagem dos refugiados que pretendem chegar à Europa.

A Frontex indica que já aumentou a capacidade de vigilância nas fronteiras do país e está a afetar funcionários a partir de outras operações para "providenciarem assistência imediata" às autoridades gregas. "A Frontex está agora a trabalhar de perto com a Grécia para finalizar rapidamente o plano operacional para a intervenção rápida nas fronteiras. Assim que o plano estiver acordado, a Frontex vai pedir aos restantes Estados-membros e países associados de Schengen que providenciem no imediato guardas fronteiriços e outro pessoal relevante", adianta o comunicado.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG