Tailândia

As reações à libertação das 12 crianças e do treinador da gruta

As reações à libertação das 12 crianças e do treinador da gruta

Todos os 12 jovens jogadores de futebol e o treinador que ficaram há duas semanas encurralados numa gruta no norte da Tailândia estão a salvo. Várias personalidades pelo mundo fora já reagiram ao sucesso da operação de resgate.

A notícia foi recebida com aplausos dos voluntários que apoiam a operação de resgate, mais de uma centena e sobretudo mulheres.

"Não temos a certeza se isto é um milagre, ciência ou outra coisa qualquer. Todos os 13 Wild Boars [javalis] estão agora fora da gruta", lê-se na página dos fuzileiros tailandeses, que se referem aos jogadores pelo nome da equipa.

As operações numa gruta de Tham Luang, em Chiang Rai, no norte da Tailândia, terminaram esta terça-feira e agora são várias as reações que correm as redes sociais.

Donald Trump, presidente dos EUA e a esposa, Melania Trump; Theresa May, primeira-ministra britânica; Elon Musk, fundador da SpaceX e que disponibilizou a sua ajuda nas operações de resgate com uma nova tecnologia; Katrín Jakobsdóttir, primeira-ministra da Islândia; a Casa Real espanhola; Tshering Tobgay, primeiro-ministro do Butão; e Steffen Seibert, porta-voz de Angela Merkel, foram algumas das personalidades que manifestaram satisfação pelo salvamento.

Também o Manchester United reagiu ao salvamento dos rapazes, convidando-os a visitar o estádio Old Trafford.

Em Portugal, Pedro Proença, presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), convidou os rapazes resgatados para estarem presentes na 'final four' da Taça da Liga.

O Benfica convidou os jovens para estagiarem durante uma semana no centro de estágio do clube, no Seixal, através do embaixador da Tailândia em Portugal.

O presidente da FIFA já tinha convidado anteriormente a equipa a assistir à final do Mundial, a 15 de julho, em Moscovo, mas, como os rapazes vão permanecer internados durante uma semana, não terão oportunidade de o fazer.

O grupo de 12 rapazes e o treinador foram explorar a área depois de um jogo de futebol no dia 23 de junho.

Na altura, as inundações resultantes das monções bloquearam-lhes a saída da gruta e impediram que as equipas de resgate os encontrassem. O acesso ao local onde ficaram encurralados só foi possível via mergulho, através de túneis escuros e estreitos, cheios de água turva e correntes fortes.

Os rapazes e o treinador foram retirados numa operação que durou três dias e que começou no domingo, quando os mergulhadores conseguiram retirar da gruta os quatro primeiros rapazes. Na segunda-feira foram retirados outros quatro e esta terça-feira a equipa de resgate retirou os últimos quatro rapazes e o treinador.

ver mais vídeos