Paris

As reações ao incêndio da catedral de Notre-Dame

As reações ao incêndio da catedral de Notre-Dame

Um incêndio de grandes dimensões deflagrou, esta segunda-feira à tarde, na catedral de Notre-Dame de Paris, França. Várias personalidades de todo o mundo já reagiram ao incidente.

O presidente francês, Emmanuel Macron, adiou o discurso à nação que devia fazer esta segunda-feira às 18 horas locais (17 horas em Portugal continental) por causa do "terrível incêndio que devasta Notre-Dame".

Quase em simultâneo com o anúncio da presidência francesa, Emmanuel Macron fazia uma primeira reação ao incêndio na emblemática catedral na rede social Twitter.

"Notre-Dame de Paris consumida pelas chamas. Emoção de uma nação inteira. Pensada para todos os católicos e para todos os Franceses. Como todos os nossos compatriotas, estou triste esta noite por ver a queimar uma parte de nós", escreveu o presidente de França.

Emmanuel Macron tinha previsto anunciar esta segunda-feira ao país as medidas que seriam a resposta ao "Grande Debate", uma iniciativa lançada pelo Presidente francês para responder aos protestos dos "coletes amarelos".

Numa missiva endereçada ao presidente francês, publicada no site da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa enviou um "abraço sentido" para o povo francês e lamentou a tragédia.

"Caro Presidente Macron, meu Amigo: Uma dor que nos trespassa o olhar e logo nos marca a alma, Paris sempre Paris ferida na sua Catedral em chamas, um símbolo maior do imaginário coletivo a arder, uma tragédia francesa, europeia e mundial. De Lisboa um abraço sentido", escreveu Marcelo.

O primeiro-ministro, António Costa, transmitiu ao chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, e à presidente da Câmara de Paris, Anne Hidalgo, mensagens de solidariedade pelo "terrível incêndio" na Catedral de Notre-Dame.

"Acabo de transmitir a minha solidariedade ao Presidente da República, Emmanuel Macron, e à presidente da câmara, Anne Hidalgo pelo terrível incêndio na Catedral Notre Dame de Paris. É um pouco da nossa história da Europa que desaparece sob as chamas", escreveu António Costa na rede social Twitter.

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, declarou estar "horrorizado" com as imagens do incêndio que devasta a catedral de Notre-Dame, "uma joia única do património mundial que reina sobre Paris desde o século XIV".

Na mensagem publicada na rede social Twitter, o ex-primeiro-ministro português acrescentou que os seus pensamentos estão "com o povo e com o Governo francês".

O Vaticano exprimiu na noite desta segunda-feira a sua "incredulidade" e "tristeza" quando um incêndio continuava a devastar a catedral Notre-Dame de Paris, "símbolo da cristandade, na França e no mundo".

"Exprimimos a nossa proximidade com os católicos franceses e com a população parisiense. Rezamos pelos bombeiros e por todos os que fazem o possível para enfrentar esta situação dramática", acrescentou em comunicado o porta-voz do Vaticano.

Em Jerusalém, a Igreja católica da Terra Santa também exprimiu a sua solidariedade com a Igreja de França na sequência do devastador incêndio.

"Exprimimos a nossa solidariedade com a Igreja de França neste período da semana santa e desejamos o melhor para essa igreja e para os seus fiéis", indicou a Igreja católica da Terra Santa através de um comunicado divulgado em Jerusalém.

O presidente norte-americano, Donald Trump, disse que o incêndio na emblemática catedral francesa de Notre-Dame "é horrível de ver" e que "é preciso agir depressa".

"É tão terrível de assistir a este gigantesco incêndio na catedral Notre-Dame de Paris, talvez se devesse usar bombardeamentos com água para extingui-lo, devemos agir rapidamente", escreveu Donald Trump no Twitter.

O porta-voz dos bispos franceses considerou hoje que a catedral de Notre-Dame, um "local de referência da fé católica está em vias de arder".

O incêndio iniciou-se pelas 18.50 locais (17.50 horas em Portugal continental) e segundo o porta-voz da catedral, André Finot, toda a estrutura da Notre-Dame de Paris está a arder

O incêndio, segundo os bombeiros, terá começado no sótão da catedral, o monumento histórico mais visitado da Europa.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou que os seus "pensamentos estão com a população francesa" e com "os que combatem o terrível incêndio na catedral de Notre-Dame".

"Os meus pensamentos estão esta noite com a população francesa e os serviços de urgência que combatem o terrível incêndio na Catedral de Notre-Dame", afirma May na sua conta na rede social Twitter.

A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu que a catedral de Notre-Dame, em Paris, atingida por um incêndio, é um símbolo da Franca e da cultura europeia.

"Estas imagens horríveis de Notre-Dame causam dor. Notre-Dame é um símbolo da França e da nossa cultura europeia. Os nossos pensamentos estão com os nossos amigos franceses", referiu o porta-voz da chanceler, Steffen Seibert, na rede social Twitter.

o ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Heiko Maas, expressou o seu apoio à França salientou que o incêndio também toca "nos corações" dos alemães.

"Notre-Dame em chamas também atinge os nossos corações. Os nossos pensamentos estão com os serviços de emergência e com os nossos amigos franceses e esperemos que não cause vítimas", frisou o chefe da diplomacia da Alemanha no Twitter.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, afirmou que a catedral de Notre-Dame, em Paris, que está a ser atingida por um incêndio, é "a Notre-Dame de toda a Europa", manifestando o seu apoio à França.

"Notre-Dame de Paris, é a Notre-Dame de toda a Europa. Hoje, estamos todos com Paris", referiu numa mensagem publicada na rede social Twitter.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, lamentou o incêndio na catedral de Notre-Dame, em Paris, afirmando "partilhar a emoção da nação francesa".

"Notre-Dame de Paris pertence a toda a humanidade. Que espetáculo triste. Que horror. Partilho a emoção da nação francesa, que é também a nossa", lê-se numa mensagem que partilhou na rede social Twitter.

Londres está ao lado de Paris "na tristeza", declarou o presidente da câmara da capital britânica, Sadiq Khan, quando um violento incêndio continuava a devastar a catedral Notre-Dame.

"Cenas desoladoras da catedral Notre-Dame em chamas. Hoje, Londres está na tristeza com Paris, e na amizade sempre. #NotreDame", declarou Khan na rede social Twitter.

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) manifestou solidariedade com França na salvaguarda e restauro do património histórico, na sequência do incêndio na catedral de Notre-Dame.

Numa mensagem publicada na rede social 'Twitter', Audrey Azoulay diz que a agência das Nações Unidas está "ao lado de França para salvaguardar e reabilitar esse património inestimável".

O clube campeão francês de futebol Paris Saint-Germain lamentou as "imagens terríveis" do incêndio a deflagrar na catedral de Notre-Dame, na capital francesa, um dos "mais bonitos monumentos da cidade de Paris".

"Imagens terríveis da Catedral Notre-Dame de Paris, um dos mais bonitos monumentos da cidade, em chamas. Coragem para todos os que estão mobilizados a tentar extinguir o incêndio", pode ler-se numa curta mensagem publicada no Twitter.

O treinador português Paulo Sousa, atualmente ao serviço do Bordéus, também utilizou as redes sociais para publicar uma fotografia do monumento e confessar estar "sem palavras".

"Partilho a tristeza de toda a França. Esta é a imagem que quero guardar da Nossa Senhora", escreveu.

A ministra portuguesa da Cultura, Graça Fonseca, enviou uma mensagem de solidariedade ao seu homólogo francês, Franck Riester, pelo incêndio na catedral de Notre-Dame, em Paris, que considerou um "momento terrível para França e para o mundo".

"Este é um momento terrível para França e para o mundo", escreveu Graça Fonseca, na mensagem.

"Quero exprimir a nossa sincera solidariedade com França e consigo, em particular, e dar conta da disponibilidade do Governo português no apoio às autoridades francesas", escreveu a ministra portuguesa da Cultura, na mensagem pessoal.

O cardeal-patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, disse que "grande é a tristeza" com o incêndio na catedral de Notre-Dame, em Paris, que atinge o "coração religioso e artístico" da capital francesa.

"Grande é a tristeza com o incêndio na catedral de Notre-Dame, coração religioso e artístico de Paris e referência maior para todos nós. Estamos próximos da cidade, da diocese e do seu arcebispo, certos da ressurreição que tudo tem em Cristo!", escreveu Manuel Clemente na plataforma social Twitter.

O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama afirmou na segunda-feira que a catedral de Notre-Dame, em Paris, que foi atingida por um incêndio, é um dos "maiores tesouros do mundo".

"Notre Dame é um dos maiores tesouros do mundo e estamos a pensar no povo dr França neste seu momento de luto. É da nossa natureza lamentar quando vemos a História perdida, mas também é da nossa natureza reconstruir para amanhã, tão forte quanto pudermos", escreveu Obama no Twitter.