Venezuela

Maduro desafia Guaidó por não convocar eleições

Maduro desafia Guaidó por não convocar eleições

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, desafiou em Caracas o autoproclamado presidente interino Juan Guaidó, por não ter convocado ainda eleições presidenciais antecipadas no país.

"Trinta dias (depois de se autoproclamar presidente) porque não convocou eleições. Se tem o poder, supostamente", desafiou.

Nicolás Maduro falava no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas, perante milhares de simpatizantes que este sábado marcharam na capital em apoio da revolução bolivariana.

"Onde está a convocatória, se têm um presidente interino. Eu desafio-o a convocar eleições, para ver quem tem votos e quem ganha eleições neste país", acrescentou, apelidando Juan Guaidó de "marioneta vendida ao império".

Segundo Nicolás Maduro, "as eleições deveriam ser hoje, porque assim o manda a Constituição", fazendo alusão à legislação venezuelana segundo a qual uma vez assumido o cargo o presidente interino tem um mês para convocar eleições presidenciais.

O presidente da Venezuela disse ainda que os venezuelanos estão "numa batalha pelo direito à paz, com justiça e independência".

"Contem com Nicolás Maduro, que será leal a esta batalha que está dando dignidade ao povo. Estou mais forte que nunca, de pé, governando esta pátria, agora e por muitos anos", disse.