China

Vendeu rim para comprar iPhone e agora vive preso a uma cama

Vendeu rim para comprar iPhone e agora vive preso a uma cama

Em 2011, a história de Xiao Wang escandalizou o mundo. O rapaz vendeu um rim para comprar um iPhone. Oito anos depois sofre as consequências de uma decisão que mudou a sua vida para sempre.

Ansioso por ter o telemóvel mais desenvolvido do mercado, mas sem dinheiro para o comprar, o jovem Xiao, então com 17 anos, tomou uma decisão pouco comum. Vendeu um rim, depois de ter contactado uma rede de tráfico de órgãos.

Sem que a família suspeitasse do que estava a acontecer, conseguiu cerca de três mil euros. Depois de se ter assegurado que seria possível viver só com um rim, foi operado e o rim vendido. Com o dinheiro que recebeu veio uma maldição que o acompanha até hoje.

Na clínica ilegal onde foi operado, o rapaz contraiu uma infeção que acabou por se tornam num problema de insuficiência renal, explica a BBC. A estratégia do rapaz foi desmontada depois de a mãe lhe ter perguntado onde tinha conseguido o dinheiro para comprar o telemóvel e um tablet que também adquiriu.

A mulher denunciou o caso e, já em 2012, as autoridades chinesas indiciaram nove pessoas por envolvimento no tráfico ilegal de órgãos humanos. Entre os detidos estavam os médicos que lhe extraíram o órgão. Acabaram condenados a penas de prisão entre os três e os cinco anos. A família do rapaz recebeu uma indemnização de cerca de 200 mil euros.

Atualmente, Xiao vive preso a uma cama, necessitando de acompanhamento médico permanente.

O tráfico de órgãos é um problema sério na China. A maioria das cirurgias são feitas com órgãos retirados de condenados à morte ou prisioneiros depois de falecidos - frequentemente sem o acordo das famílias, de acordo com as organizações dos direitos do homem, facto que é negado pelas autoridades.

A tradição chinesa manda que um morto seja enterrado sem mutilação do corpo. São muito raros os chineses que aceitam a retirada de órgãos quando um familiar morre.