Pandemia

Noruega anuncia fim da maioria das medidas sanitárias

Noruega anuncia fim da maioria das medidas sanitárias

O governo norueguês anunciou o fim da maioria das medidas anti-covid, como o teletrabalho obrigatório ou as restrições à venda de álcool, afirmando que a sociedade poderia e deveria "viver com o vírus".

"Hoje chegámos finalmente ao ponto em que podemos eliminar muitas das medidas sanitárias com que tivemos de viver este inverno", disse o primeiro-ministro norueguês, Jonas Gahr Støre, durante uma conferência de imprensa.

Embora a variante Ómicron tenha causado um surto de infeções, isso não se traduz num aumento das admissões hospitalares para formas graves da doença, num país onde a população é amplamente vacinada.

PUB

"Teremos de viver com um elevado nível de infeções, podemos viver com um elevado nível de infeções", acrescentou.

Entre as medidas de alívio com efeito a partir das 23:00 (22:00 em Lisboa), está o levantamento das restrições à venda de álcool em bares e restaurantes ou a obrigatoriedade de ser servido sentado ou de encomendar antes das 23:00.

O teletrabalho deixará de ser obrigatório, o limite recomendado para o número de convidados em cada habitação vai desaparecer e o mesmo se aplica ao limite do número de pessoas em eventos desportivos.

Não é mais necessária a realização de um teste na fronteira para entrar na Noruega, nem de uma quarentena em caso de infeção de um parente próximo - embora seja recomendado o teste diário durante cinco dias - e o período de isolamento de uma pessoa infetada é reduzido de seis para quatro dias.

No entanto, permanecem algumas restrições para evitar a infeção simultânea de demasiadas pessoas e para permitir que a sociedade continue a funcionar.

De acordo com o Instituto Norueguês de Saúde Pública (FHI), três a quatro milhões de noruegueses, de uma população de 5,4 milhões, podem ter sido infetados.

Fustigada pela comunidade empresarial, particularmente pela indústria da restauração e hotelaria, a distância de um metro continua a ser a regra, exceto em universidades e locais com lugares fixos (teatros, cinemas, igrejas, etc.).

A máscara também permanece obrigatória em áreas onde não é possível respeitar a distância, como lojas e transportes públicos.

A Noruega vai assim um pouco menos longe do que a vizinha Dinamarca, que na terça-feira voltou à "vida antiga", abandonando quase todas as suas restrições.

Até agora, foram comunicados mais de 781.000 casos de covid-19 no país, incluindo 1440 casos fatais. Quase 91% da população adulta tem o seu calendário de vacinação completo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG