Covid-19

Primeiro homem a receber vacina da Pfizer chama-se William Shakespeare

Primeiro homem a receber vacina da Pfizer chama-se William Shakespeare

Depois de Margaret Keenan, a mulher britânica de 90 anos que se tornou esta terça-feira a primeira pessoa no Mundo a receber a vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Pfizer e BioNTech, no Reino Unido, foi vacinado o primeiro homem, de 81 anos, que se chama William Shakespeare, homónimo do poeta inglês.

O idoso afirmou estar muito "muito feliz". "É incrível observar a vacina, é incrível ver este tremendo impulso para toda a nação, mas não podemos relaxar", declarou. Mas ainda "não derrotamos o vírus", destacou, antes de pedir a todos que aceitem a injeção sem medo.

O Reino Unido, primeiro país ocidental que começou a vacinar a sua população contra o novo coronavírus, decidiu dar prioridade aos idosos, aos seus cuidadores e profissionais de saúde.

Margaret Keenan, que completará 91 anos na próxima semana, foi a primeira a receber uma dose, pouco depois das 6.30 horas desta terça-feira (mesma hora em Portugal continental) num hospital de Coventry, região central de Inglaterra.

"Sinto-me muito privilegiada por ser a primeira pessoa a ser vacinada contra a covid-19. É o melhor presente de aniversário antecipado que poderia esperar", declarou Kenan diante dos fotógrafos e das câmaras de televisão.

PUB

Ela está isolada desde o início da pandemia em março e graças à vacina, da qual receberá uma segunda dose dentro de 21 dias. "Posso pensar em passar tempo com a minha família e amigos no Ano Novo", afirmou à agência de notícias britânica Press Association.

O Reino Unido, país mais afetado da Europa pela pandemia, com mais de 62 mil mortes confirmadas, foi a primeira nação ocidental a autorizar o uso de uma vacina contra a covid-19.

A Rússia começou a administrar a sua vacina, denominada Sputnik V, no fim de semana passado, e a China também fornece uma vacina experimental a um grupo reduzido da população. Estados Unidos e União Europeia ainda aguardam a aprovação das suas agências reguladoras.

A vacinação começou apenas em hospitais, 50 no total, devido à necessidade de manter o produto a uma temperatura muito baixa, entre -70ºC e -80ºC.

O país recebeu as primeiras 800 mil doses da vacina Pfizer/BioNTech nos últimos dias, procedentes de laboratórios na Bélgica.

O sucesso da vacinação é crucial para o governo de Johnson, muito criticado pelas suas políticas erradas contra a pandemia e que enfrenta uma revolta entre os conservadores contra as severas restrições locais que entraram em vigor no dia 2 de dezembro, após o segundo confinamento.

Para combater as hesitações de alguns britânicos em receber a injeção, a rainha Isabel II, de 94 anos, e o seu marido Filipe, de 99, poderão ser vacinados em público nos próximos dias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG