Debate

Bispos católicos apoiam referendo à eutanásia

Bispos católicos apoiam referendo à eutanásia

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) manifestou esta terça-feira o seu apoio a todas as iniciativas contra a despenalização da eutanásia, incluindo a realização de um referendo.

Em comunicado distribuído à imprensa, no final da reunião do Conselho Permanente da CEP, que se realizou em Fátima, os bispos recorrem às palavras do Papa Francisco, para reiterar que "a opção mais digna contra a eutanásia está nos cuidados paliativos como compromisso de
proximidade, respeito e cuidado da vida humana até ao seu fim natural".

Convidado a explicar o porquê do apoio ao referendo, quando a Igreja tem insistido que "a vida não é referendável", o porta-voz da CEP, padre Manuel Barbosa, afirmou que os bispos continuam a defender a vida como um bem que não deve ser escrutinado, mas encaram um possível
referendo "como mais uma forma útil para defender a vida no seu todo".

No comunicado divulgado esta terça-feira, a CEP dirige-se ainda aos profissionais de saúde, sensibilizando-os para terem sempre em atenção a dignidade humano e não cederem a atos de supressão de vida. "Queridos profissionais da saúde: qualquer intervenção de diagnóstico, de «prevenção, de terapêutica, de investigação, de tratamento e de reabilitação há de ter por objetivo a pessoa doente, onde o substantivo "pessoa" venha sempre antes do adjetivo "doente". Por isso, a vossa ação tenha sempre em vista constantemente a dignidade e a vida da pessoa, sem qualquer cedência a atos como a eutanásia, o suicídio assistido ou a supressão da vida, mesmo se o estado da doença for irreversível", escreveram os bispos.