Covid-19

Circulação entre concelhos proibida entre 30 de outubro e 3 de novembro

Circulação entre concelhos proibida entre 30 de outubro e 3 de novembro

O Conselho de Ministros decretou esta quinta-feira a proibição de circulação entre concelhos de 30 de outubro a 3 de novembro, anunciando ainda luto nacional a 2 de novembro. Paços de Ferreira, Lousada e Felgueiras passam a ter medidas específicas, nomeadamente o dever de permanência no domicílio.

Oito dias depois de ter sido anunciado o regresso à situação de Calamidade, o Governo decidiu impor novas medidas de combate à propagação do novo coronavírus no país. Assim, entre os dias 30 de outubro e 3 de novembro, fim de semana correspondente ao Dia de Finados, a circulação entre concelhos fica suspensa.

A ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, anunciou ainda que o Conselho de Ministros decidiu declarar o dia 2 de novembro como dia de luto nacional "como forma de prestar homenagem a todos os falecidos, em especial às vítimas da pandemia".

De referir ainda um conjunto de decisões especiais aplicáveis aos concelhos de Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira, que enfrentam um aumento exponencial de novas infeções por covid-19. António Costa esteve esta quarta-feira reunido com os três autarcas e descartou a necessidade de se recorrer a uma cerca sanitária ou ao confinamento, anunciando "consenso entre todos" quanto às estratégias a adotar.

Entre as medidas, que entram em vigor à meia-noite desta sexta-feira e durante 15 dias, está: " o dever de permanência no domicílio, devendo os cidadãos abster-se de circular em espaços e vias públicas, bem como em espaços e vias privadas equiparadas a vias públicas, exceto para um conjunto de deslocações que estão autorizadas, designadamente para aquisição de bens e serviços, para desempenho de atividades profissionais e escolares e por motivos de saúde".

PUB

De referir também que os veículos particulares podem circular "desde que seja para realizar as atividades autorizadas ou para o reabastecimento em postos de combustível".

Nestes três concelhos do Vale do Sousa, todos os estabelecimentos comerciais passam a encerrar às 22 horas, com a exceção das farmácias e dos locais de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica, consultórios, clínicas e centros de atendimento médico veterinário com urgências, áreas de serviço e postos de abastecimento de combustíveis.

O Conselho de Ministros decidiu também proibir a realização de eventos com mais de cinco pessoas, "salvo se pertencerem ao mesmo agregado familiar", e de todas as feiras e mercados.

Outra medida passa pela obrigatoriedade de adoção do regime de teletrabalho sempre que as funções em causa o permitam. Por fim, as visitas a lares de idosos e centros de dia ficam suspensas.

Mariana Vieira da Silva recordou que estas medidas são semelhantes às orientações aplicadas, anteriormente, às 19 freguesias de Lisboa que registavam um maior número de casos de infeção.

Na reunião do Conselho de Ministros ficou ainda acordado que a Direção-Geral da Saúde vai adquirir entre este mês e março de 2021 mais de cem mil frascos do medicamento antiviral remdesivir, com a designação comercial Veklury, para tratamento de doentes com covid-19.

A decisão foi anunciada pela ministra da Saúde, Marta Temido, que explicou que "a aquisição de mais de cem mil frascos" terá um custo de cerca de 35 milhões de euros, uma vez que cada um custa 345 euros.

Com esta compra, o Governo pretende "cobrir as necessidades assistenciais dos nossos doentes (...) entre outubro de 2020 a março de 2021".

O remdesivir é indicado para o tratamento de doentes adultos e adolescentes com pneumonia que necessitem de oxigénio suplementar e foi autorizado na União Europeia para a covid-19, lembrou Marta Temido.

A aquisição será feita através de contrato específico a celebrar ao abrigo do contrato-quadro de aquisições conjuntas celebrado entre a Comissão Europeia e a empresa farmacêutica Gilead Sciences.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG